Sensus aponta empate técnico entre Dilma e Marina no primeiro turno

A presidente Dilma Rousseff (PT), que tenta a reeleição, e a candidata pelo PSB à Presidência da República, Marina Silva, estão em empate técnico no primeiro turno das eleições de outubro, apontou neste sábado pesquisa do Instituto Sensus divulgada pela revista Istoé.

REUTERS

06 Setembro 2014 | 09h23

O levantamento, realizado pela primeira vez tendo Marina como candidata, também indica vitória da presidenciável em um segundo turno contra Dilma.

De acordo com a sondagem, no primeiro turno a presidente Dilma registra 29,8 por cento da preferência do eleitorado, enquanto Marina é detentora de 29,5 por cento das intenções de voto. O candidato do PSDB ao Planalto, Aécio Neves, ocupa a terceira colocação, com 15,2 por cento.

Os demais candidatos registram menos de 1 por cento das intenções, com exceção de Pastor Everaldo (PSC), que recebeu 1,1 por cento. A soma de entrevistados que não pretendem votar em nenhum dos candidatos, devem votar nulo, branco ou não responderam ao questionário chega a 23,5 por cento, segundo a sondagem.

Em um eventual segundo turno, a candidata do PSB venceria com 47,6 por cento contra 32,8 por cento da petista. Os indecisos, brancos, nulos e que não responderam somam 19,7 por cento.

Outro cenário de segundo turno abordado pela pesquisa aponta Dilma numericamente à frente de Aécio. A petista registrou 39,3 por cento, enquanto o tucano obteve 35,4 por cento. A soma de indecisos, brancos, nulos e que não responderam chega a 27,7 por cento.

Levantamentos divulgados no decorrer da semana dos institutos Datafolha e Ibope já apontavam empate técnico entre Marina e Dilma no primeiro turno e vitória da candidata do PSB em um segundo turno.

A pesquisa divulgada neste sábado pelo Sensus realizou 2 mil entrevistas em 136 municípios do país entre os dias 1o e 4 de setembro. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais.

(Reportagem de Maria Carolina Marcello)

Mais conteúdo sobre:
ELEICOES2014PESQUISASENSUS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.