Terceiro em Suzuka, japonês Kobayashi faz história na F1

O terceiro lugar teve gosto de vitória para Kamui Kobayashi, que comemorou seu primeiro pódio na Fórmula 1 diante de torcedores japoneses que só haviam testemunhado tal evento uma vez em sua terra natal.

ALAN BALDWIN, Reuters

07 de outubro de 2012 | 10h18

Apenas o terceiro japonês a subir no pódio de um GP e o primeiro desde que Takuma Sato chegou na terceira colocação em Indianápolis, em 2004, o piloto da Sauber teve uma legião de fãs roendo as unhas até o fim.

Sob a pressão da McLaren de Jenson Button nas voltas finais, parecia que as esperanças de Kobayashi seriam frustradas.

O executivo-chefe da equipe, Monisha Kaltenborn, aparentava estar rezando silenciosamente nos boxes, enquanto por todo o circuito os torcedores seguravam o fôlego pelo piloto de 26 anos.

"Foi nas últimas voltas. Um segundo de diferença, um desafio enorme para nós, mas acho que finalmente terminamos com pontos, no pódio, e isso é fantástico", disse ele a repórteres mais tarde. "Especialmente no grande prêmio em casa, meu primeiro pódio, é... vocês sabem... maravilhoso".

O único outro japonês a subir no pódio de Suzuka foi Aguri Suzuki, em 1990, uma época em que o país estava muito mais envolvido com a modalidade do que agora.

A Honda, proprietária do circuito de Suzuka, e a Toyota se retiraram do esporte, e Kobayashi é o único piloto japonês no grid de largada.

Sem apoio financeiro significativo, o filho de um dono de restaurante de sushi enfrenta um futuro incerto na Fórmula 1 e precisava de um grande resultado para reforçar suas chances de voltar na próxima temporada.

Kobayashi torce para que o feito garanta sua vaga: "Teremos uma boa reunião esta noite para falar com nossos dirigentes", disse ele, referindo-se também ao brasileiro Felipe Massa, da Ferrari, que chegou em segundo.

O futuro de Massa na escuderia italiana também é incerto, e um ótimo desfecho como o deste domingo pode fazer a balança pender a seu favor.

Tudo o que sabemos sobre:
F1JAPAOKOBAYASHI*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.