TJ-SP mantém bloqueio de bens de dono de Porsche

O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) manteve a decisão de bloquear os bens do engenheiro Marcelo Malvio de Lima, de 38 anos, motorista do Porsche que se envolveu no acidente que matou a advogada Carolina Menezes Cintra Santos, de 28, em julho deste ano no Itaim Bibi, zona sul de São Paulo.

MARCELA BOURROUL GONSALVES, Agência Estado

17 de outubro de 2011 | 16h08

A defesa do rapaz havia entrado com um agravo de instrumento para reverter a decisão da juíza Margot Chrysostomo Correa, da 5ª Vara Cível, que tinha como objetivo garantir o cumprimento de uma futura ação de danos morais ajuizada pela família da vítima.

Segundo a decisão do desembargador Fernando Melo Bueno Filho, da 35ª Câmara de Direito Privado, Lima se retirou de pelo menos três sociedades das quais fazia parte após o acidente, caracterizando "instabilidade financeira e consequente risco de

dissipação do patrimônio".

Bueno Filho não deixou de considerar o fato de que Carolina tinha uma concentração de 2,1 gramas de álcool por litro de sangue, mas afirmou que as circunstâncias deverão ser analisadas por ocasião da decisão da ação principal, onde será apurada a responsabilidade pelo acidente.

Tudo o que sabemos sobre:
TJ-SPacidentePorsche

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.