Visita de Madonna a favela mobiliza 60 policiais no Rio

A visita da cantora Madonna, na tarde desta sexta-feira, ao Centro Cultural Waly Salomão, sede do AfroReggae, na Favela de Vigário Geral, na zona norte do Rio de Janeiro, mobilizou 60 policiais militares e causou polêmica na comunidade.

EQUIPE AE, Agência Estado

07 Dezembro 2012 | 19h21

Acompanhada pelo namorado Brahim Zaibat, o filho Rocco e seguranças particulares, a artista assistiu a apresentações musicais e circenses. Mas, para evitar o assédio da imprensa, o local foi cercado por lonas plásticas e banners.

Crianças curiosas com a presença da cantora tiveram que deitar no chão para espiá-la entre as frestas. O isolamento provocou vaias dos moradores. Mesmo com o forte calor que fez no Rio, Madonna usava roupa preta, lenço e chapéu. Ela ficou cerca de uma hora na favela.

Mais conteúdo sobre:
Madonna Vigário Geral

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.