Publicidade

Publicidade

Radar

Por que a cachaça mais cara do mundo pode custar quase R$ 1 milhão?

A bebida produzida artesanalmente demora quatro anos para ficar pronta e conta com uma embalagem requintada

Cachaça de luxo da Velho Barreiro. Foto: Vinicius LacerdaFoto: Vinicius Lacerda

Em maio deste ano, a marca Velho Barreiro, que produz cachaças populares, lançou um novo produto que chama a atenção pelo valor: o VB Platinum, um destilado que pode ser comercializado por quase R$ 1 milhão.

A bebida é produzida artesanalmente em alambique, reduzida a um teor alcóolico que varia entre 39% e 40% e armazenada em tonéis de madeira amburana durante quatro anos para adquirir um sabor levemente floral e adocicado.

Embora o processo de fabricação seja demorado e envolva várias etapas, o que torna a linha tão cara é a embalagem. A garrafa luxuosa do destilado foi idealizada pelo presidente da empresa, Cesar Rosa, e feita por um ourives, tendo 700ml de capacidade, coberta com ouro rosé e cravada por centenas de pequenos diamantes, “uma verdadeira obra de arte”, afirma Cesar.

Como nenhuma venda do produto foi realizada ainda, essa foi a única garrafa produzida até o momento, mas, de acordo com informações do G1, já existem clientes interessados que estão em processo de estudo da compra. O alto valor é fora do comum, portanto a Velho Barreiro só fabricará outra embalagem como essa depois que a primeira compra for efetuada.

A empresa também disponibilizou uma versão mais barata da cachaça VB Platinum, uma edição de varejo com valores em torno de R$ 230, cujo processo de feitura do líquido é o mesmo, alambicado e envelhecido em amburana, mas com garrafas simples que dispensam adornos.

PUBLICIDADE

O presidente da Velho Barreiro também destaca que, através das linhas premium, a marca já consolidada entre as classes mais baixas está atingindo as classes A e B, que costumam ser fiéis compradoras de outros tipos de destilados, como whisky, saquê e rum.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE