PUBLICIDADE

Foto do(a) blog

Fique por dentro do cotidiano da pequena empresa como você nunca viu antes.

Opinião|Iniciativa garante a jovens das áreas rurais da África oportunidades de inclusão produtiva

Empresa Babban Gona (grande fazenda, no idioma hausa) usa agricultura para gerar ocupação profissional e renda digna

A inclusão produtiva pela via do empreendedorismo é um tema emergente em várias partes do globo, sobretudo as iniciativas mediadas por uma visão estratégica de desenvolvimento dos países e de combate à pobreza. Um dos negócios de impacto que tem um trabalho emblemático dentro desta temática é a Babban Gona (grande fazenda, no idioma hausa), que atua na África com jovens residentes das áreas rurais. A proposta-base é desbloquear o poder da agricultura, criando um mecanismo de geração de ocupação profissional e renda digna.

PUBLICIDADE

Oferecer a oportunidade para prosperar está no centro da missão da Babban Gona, que desenvolve iniciativas para impedir que a pobreza ameace o futuro do continente africano, desencadeando uma crise de imigração em massa. O diagnóstico feito pelo negócio é que o aumento da violência na África Ocidental criou uma espiral descendente que desestabiliza as economias locais, aumentando as migrações e ameaçando a estabilidade de toda a região e, potencialmente, da Europa. No centro do problema, os mais impactados são os jovens desempregados – que se tornam alvos da violência.

Como resposta ao enorme desafio da inclusão produtiva na região e do combate à pobreza, a Babban Gona cria oportunidades de trabalho digno e gratificante para esse grupo demográfico. O programa Juventude Rural torna a agricultura uma atividade lucrativa – transformando jovens em empreendedores do campo.

Kola Masha, fundador da Babban Gona Foto: Divulgação/World Economic Forum

O epicentro da jornada das ações é o norte da Nigéria, no qual, com um programa tecnológico inovador, trabalha para aumentar a rentabilidade do agricultor (melhorando o rendimento das culturas por hectare, reduzindo o custo de produção e aumentando o preço unitário de mercado); interromper o ciclo da pobreza e da violência (transformando jovens desempregados em empresários agrícolas); e com a criação de comunidades prósperas (a vida melhora à medida que a violência é reduzida e indivíduos, famílias e economias prosperam).

O modelo de atuação está baseado na entrega de quatro serviços essenciais para que os pequenos agricultores tenham sucesso. No pilar de treinamento e educação, os jovens recebem formação da Babban Gona Farm University – uma plataforma que permite aos membros acessar conhecimento necessário para gerenciar a operação, desenvolver mentalidade comercial para a agricultura e adotar melhoras práticas agronômicas que potencializam os rendimentos. Em sequência, oferecem crédito financeiro a baixo custo para os jovens agricultores. No terceiro apoio, fornecem insumos de qualidade a melhores preços e treinamento para a utilização; no quarto pilar, dão suporte à colheita e ao marketing para comercialização/acesso a mercados e armazenamento. Vale ressaltar que os agricultores se tornam coproprietários de parte da Babban Gona.

Publicidade

Uma das unidades do negócio Babban Gona apoia, exclusivamente, mulheres como Talatu Ibrahim, empreendedora rural de uma pequena comunidade de Rafin Guza, na Nigéria. Vivendo em um dos assentamentos às margens do rio Kaduna, ela decidiu participar das formações e aprender novos métodos de plantação e gestão agrícola. Na temporada anterior ao ingresso no programa, havia conseguido cultivar 15 sacas em uma fazenda de 2,5 acres; após o apoio recebido, colheu 45 sacas no mesmo terreno e aumentou a renda em três vezes. Com o dinheiro, conseguiu enviar a filha e o filho para escolas melhores.

Ao longo da jornada do Babban Gona – que teve início em 2012 –, o negócio social criou 299.494 empregos; aumentou em mais de duas vezes o lucro líquido em relação à media nacional; e 354.392 acres foram cultivados de forma sustentável por pequenos agricultores. Como resultado, a injeção de dezenas de milhões de dólares nas economias rurais, diminuindo drasticamente a pobreza, a violência e a migração.

Em 2023, Kola Masha, fundador da Babban Gona – primeira empresa social com fins lucrativos da história a receber o Prêmio Skoll pela sustentabilidade financeira e impacto escalável do negócio –, foi eleito um dos inovadores sociais excepcionais pelo Fórum Econômico Mundial. Para as pessoas interessadas em saber mais sobre a trajetória dessa iniciativa, recomendo a palestra do inovador social no TEDx Como a agricultura pode empregar mão de obra jovem na África e ajudar a construir a paz.

Opinião por Maure Pessanha
Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.