Atuação da PRF no 2º turno das eleições teve foco no Nordeste

Segunda região com maior quantidade de eleitores teve a maior atenção da Polícia Rodoviária Federal

Foto do author Julia Affonso
Foto do author André Borges
Foto do author André Shalders
Por Julia Affonso , André Borges e André Shalders
Atualização:

BRASÍLIA - A Polícia Rodoviária Federal (PRF) realizou ao menos 560 operações neste domingo durante o 2º turno das eleições de 2022, com foco no Nordeste. Durante o dia, eleitores denunciaram abordagens irregulares da corporação e a PRF foi acusada pelo PT de atuar para dificultar o voto de eleitores principalmente na região.

A estratégia da Polícia para as eleições foi selada em uma reunião no Palácio da Alvorada com coordenadores da campanha do presidente Jair Bolsonaro (PL), no último dia 19. Sob o argumento de que seria preciso combater o transporte irregular de eleitores, principalmente no Nordeste, onde o candidato do PT, Luiz Inácio Lula da Silva, tem mais votos, o comando da campanha decidiu naquela noite que a PRF deveria reforçar sua operação nas estradas no dia do segundo turno.

Operação da PRF na Bahia. Ação policial teve que ser suspensa por ordem do TSE Foto: Reprodução

PUBLICIDADE

O Nordeste, segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), é a região do País com o segundo maior número de eleitores, 27,11%, mas foi o local de maior atuação da PRF. A Polícia colocou 274 operações em todos os nove Estados. Em Alagoas, houve 85 atuações da corporação.

Já no Sudeste, região que concentra a maior quantidade de eleitores (42,64%), a PRF abriu 51 operações. A corporação esteve nos quatro Estados com Minas Gerais e São Paulo liderando o número de atuações. A PRF esteve também nas regiões Centro-Oeste, a segunda que mais recebeu operações, no Norte, em seguida, e no Sul, local onde atuou menos.

Após centenas de eleitores denunciarem as operações nas redes sociais, o presidente do TSE, Alexandre de Moraes, determinou que o diretor da PRF, Silvinei Vasques, explicasse o motivo das ações. A atuação violou uma decisão de Moraes, tomada no sábado, 29. Vasques chegou a postar uma imagem pedindo voto em Bolsonaro e depois apagou.

O diretor da PRF esteve na sede do TSE após ser intimado por Moraes e afirmou ter determinado a suspensão de todas as operações. Segundo o diretor-geral, as ações foram realizadas com base no código de trânsito e não miraram o transporte de eleitores. A PRF vai encaminhar um relatório ao tribunal para explicar a atuação neste domingo.

Depois do encontro, Moraes afirmou que as operações de trânsito realizadas pela Polícia Rodoviária Federal não impediram eleitores de votar, segundo informações que recebeu do diretor-geral da PRF. Moraes descartou o adiamento do horário previsto para o encerramento da votação, pois, segundo ele, “não houve prejuízo” aos votantes.

Publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.