PUBLICIDADE

Foto do(a) blog

Notícias e artigos do mundo do Direito: a rotina da Polícia, Ministério Público e Tribunais

‘A gente prende, no outro dia tá solto’, protesta deputado Delegado Palumbo; assista

Quando passava pela Barra Funda, em São Paulo, nesta quarta, 7, parlamentar avistou dois supostos ladrões de celular correndo e os prendeu; ‘Tá difícil trabalhar, viu?’

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

O deputado Delegado Palumbo (MDB-SP) passava pela região da Barra Funda na tarde desta quarta, 7, quando avistou dois rapazes correndo. “É ladrão, é ladrão”, logo desconfiou o parlamentar, que se pôs a perseguir os suspeitos.

Palumbo, que é delegado da Polícia Civil de carreira, alcançou os dois e os revistou. Com um deles encontrou um celular que havia sido roubado minutos antes, segundo o deputado.

Os dois detidos são menores de idade, ‘já com histórico criminal de roubo de celulares’, afirma o deputado.

Deputado Delegado Palumbo prendeu dois rapazes que teriam roubado celular. Foto: @delegadopalumbo via Instagram

PUBLICIDADE

Delegado Palumbo pediu reforço de policiais do Garra, o Grupo Armado de Repressão a Roubos da Polícia Civil, para formalizar a apreensão dos menores. Até a chegada dos policiais, o deputado manteve os dois suspeitos imobilizados, deitados no canteiro central de uma avenida. “Pegamos dois, eu e o sargento Vitor aí”, disse o deputado em post que divulgou em suas redes.

No vídeo, o deputado exibe o celular que teria sido roubado pela dupla. “A gente prende, no outro dia tá solto”, protesta o parlamentar. Ele citou o caso de um policial assassinado na terça, 6, por um ladrão de celular. “O policial que morreu ontem morreu por causa de um celular. E tem gente que acha que esses caras não têm que ir prá cadeia, então tá difícil trabalhar, viu?”

Publicidade

Ao Estadão, Palumbo afirmou que estava indo ao seu escritório político quando se deparou com os menores em fuga, sendo perseguidos por uma vítima que havia tido o aparelho celular furtado. O parlamentar disse que entrou na contramão e efetuou a apreensão junto com seu assessor, que estava armado.

“A vítima chegou depois de uns dez minutos e reconheceu os dois. Depois a gente chamou a viatura do Garra (Grupo Armado de Repressão a Roubos e Assaltos) e eles foram encaminhados para a delegacia”, afirmou.

Os menores infratores foram encaminhados para a 91º Delegacia de São Paulo.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.