PUBLICIDADE

Foto do(a) blog

Notícias e artigos do mundo do Direito: a rotina da Polícia, Ministério Público e Tribunais

Magistrados cobram Temer para indicar juiz de carreira ao STF

Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), maior entidade da toga do mundo, defende em carta ao presidente 'nomeação rápida' de um integrante do Judiciário para a Corte máxima

Foto do author Fausto Macedo
Por Fausto Macedo e Mateus Coutinho
Atualização:

 

Michel Temer e Jayme de Oliveira. FOTO: ESTADÃO Foto: Estadão

A Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), maior entidade de juízes do mundo, encaminhou ao presidente Michel Temer, nesta terça-feira, 31, documento defendendo que um terço das vagas do Supremo Tribunal Federal (STF) seja ocupado por magistrados de carreira.

PUBLICIDADE

Documento

CARTA A TEMER

A indicação de um juiz de carreira, concursado e de notório saber jurídico, é uma reivindicação antiga da associação. No dia 19 de janeiro, o Supremo perdeu o ministro Teori Zavascki, morto em acidente aéreo em Paraty (RJ). Temer ainda não definiu o sucessor, sob alegação de que só o fará quando a Corte máxima escolher o novo relator da Operação Lava Jato.

"O pleito da entidade é de que seja indicado um magistrado para o Supremo Tribunal Federal. Na AMB, temos mais de 14 mil juízes e eles não têm representatividade no Conselho Nacional de Justiça e no Supremo. Isso é motivo de descontentamento", afirmou o presidente da AMB, Jayme de Oliveira.

Para Jayme de Oliveira, a nomeação rápida de um integrante do Judiciário 'certamente trará uma grande contribuição para o STF'.

Publicidade

"A AMB tem o objetivo de colaborar com o aperfeiçoamento e sistemática de escolha dos ministros do STF, desenvolvendo critérios técnicos e éticos para tornar a Corte ainda mais equilibrada e plural", afirma Jayme de Oliveira na carta a Temer.

A AMB argumenta ainda que os magistrados 'precisam ser valorizados, pois se preparam a vida inteira para cumprir a importante missão social de aplicar a Lei, julgar processos, fazer com que a Justiça prevaleça'.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.