PUBLICIDADE

Foto do(a) blog

Notícias e artigos do mundo do Direito: a rotina da Polícia, Ministério Público e Tribunais

‘Menosprezou gays e bissexuais’, diz autor de notícia-crime de ‘Mamãe Falei’ por homofobia

Paulo Iotti detalha a notícia crime que atribui ao ex-deputado e suplente Amanda Vettorazzo frase ‘preconceituosas e criminosas’ sobre o ator João Guilherme

Foto do author Pepita Ortega
Por Pepita Ortega
Atualização:
Advogados questionam vídeo de políticos do União Brasil por declarações homofóbicas sobre ator João Guilherme Foto: Reprodução/not

“As falas explicitamente menosprezaram a masculinidade gay e bissexual relativamente à masculinidade heterossexual, como se menos homem fosse por assumir postura que homofobicamente chamam de ‘meio bicha’”. É com essa frase que Paulo Iotti, presidente do Grupo de Advogados pela Diversidade Sexual e de Gênero, explica a notícia crime apresentada contra o ex-deputado Arthur do Val e Amanda Vettorazzo, primeira suplente de deputada estadual do União Brasil em São Paulo, em razão de ‘falas preconceituosas e criminosas’ sobre o ator João Guilherme.

PUBLICIDADE

No último dia 30, o grupo levou ao Ministério Público de São Paulo um pedido de investigação sobre a conduta do ex-parlamentar. O coletivo de advogados quer que ‘Mamãe Falei’ responda por homofobia, crime reconhecido como forma de ‘racismo social’ pelo Supremo Tribunal Federal.

No centro do questionamento está uma gravação em que Arthur do Val e Amanda Vettorazzo ‘reagem a um vídeo do ator João Guilherme, enquanto riam, debochavam, ofendiam e satirizavam as ações, movimentações e atuação do ator, atribuindo-lhe adjetivos pejorativos, reações sarcásticas e claramente homofóbicas’.

No vídeo, os políticos do União Brasil falam expressões como ‘homem meio bicha’. Para o Grupo de Advogados pela Diversidade Sexual e de Gênero, o vídeo foi feito ‘com o propósito de satirizar a figura do homem gay afeminado em pleno Dia Internacional do Orgulho LGBT+’.

“Fazendo comentários extremamente preconceituosos, com expressões de chacota e visível demonstração de repugnância ao vídeo de João Guilherme, os Noticiados não só cometeram o crime de injuria contra o ator, mas utilizaram de sua imagem para demonstrar a repulsa e preconceito que sentem diante da figura de um homem gay afeminado, praticando o crime de LGBTIfobia’, sustentam.

Publicidade

COM A PALAVRA, OS POLÍTICOS

A reportagem busca contato com Arthur do Val e Amanda Vettorazzo. O espaço está aberto para manifestações.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.