PUBLICIDADE

Caetano notifica herdeiras de Olavo e filha do ‘guru’ diz que ‘a viúva vai ter que se explicar’

‘Guru’ do bolsonarismo, Olavo de Carvalho morreu devendo quase R$ 3 milhões por publicação sobre o músico baiano

Foto do author Rubens Anater
Por Rubens Anater
Atualização:

Principal ideólogo da direita bolsonarista, Olavo de Carvalho morreu em janeiro de 2022 e deixou para suas herdeiras uma dívida de R$ 2,9 milhões a ser paga a Caetano Veloso. Mas só agora os advogados do cantor baiano conseguiram notificar as responsáveis pelo espólio olavista.

Olavo de Carvalho morreu em 2021 e deixou processos para herdeiras Foto: Reprodução/TV Escola

PUBLICIDADE

Segundo o blog do jornalista Ancelmo Gois, no jornal O Globo, as representantes dos bens deixados pelo “guru” são sua viúva, Roxane, e uma de suas filhas, Leilah Maria. Elas foram encontradas em Santa Catarina e oficialmente notificadas da dívida, o que volta a colocar em andamento a cobrança que havia sido suspensa em abril de 2022 pela 50ª Vara Cível do Rio de Janeiro.

Heloísa de Carvalho, também filha de Olavo, se manifestou nas redes sociais. “Olavo faleceu devendo + de 3 milhões de indenização para o Caetano Veloso, os parentes dele q detém o patrimônio e direitos autorais, vão ter q prestar contas p/ a justiça, e se pegaram $ indevidamente podem responder proc. crime, não é o meu caso, + a viúva vai ter q se explicar”.

Heloísa tinha uma relação conturbada com o pai e em diversas ocasiões confrontou suas opiniões. Ela foi filiada ao PT e chegou a dizer que se recebesse algum dinheiro depois da morte de Olavo, doaria para a campanha de Lula. Mas afirmou que o “guru” não poderia deixar uma quantia significativa aos filhos (são 8 no total), pois devia “milhões em indenizações”.

Caetano Veloso e Olavo de Carvalho

O cantor baiano processou o “guru” do bolsonarismo em 2017 por acusações de pedofilia que Olavo teria postado em suas redes sociais contra ele.

A Justiça concedeu uma liminar determinando a remoção das postagens ainda em novembro de 2017, com sob pena de multa diária de R$ 10 mil. Olavo foi intimado em sua casa, nos Estados Unidos, em fevereiro de 2019, mas não apagou as publicações.

Isso levou a 50ª Vara Cível do Rio de Janeiro a condená-lo, em outubro de 2020, a pagar em até 15 dias R$ 2,9 milhões a Caetano Veloso. Com sua morte, a dívida passa aos herdeiros, que devem pagá-la com o espólio recebido do falecido, conforme determina o art. 597 do Código de Processo Civil.

Publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.