EXCLUSIVO PARA ASSINANTES
Foto do(a) coluna

Coluna do Estadão

| Por Roseann Kennedy

Roseann Kennedy traz os bastidores da política e da economia, com Eduardo Gayer e Augusto Tenório

Lira afaga apoiadores de Bolsonaro, e governo releva sua ausência em ato organizado por Lula

Presidente da Câmara afirmou que não participaria da solenidade por causa de problemas de saúde na família

PUBLICIDADE

Foto do author Roseann Kennedy
Foto do author Augusto Tenório
Por Roseann Kennedy e Augusto Tenório
Atualização:

A ausência do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), no evento Democracia Inabalada, nesta segunda-feira, 8, afagou o grupo ligado ao ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) e segue a linha de outros líderes do Centrão, que por considerarem que é um ato político do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), também não compareceram. O governo, por sua vez, minimiza a ausência para evitar novo desgaste com o parlamentar. Lira alegou problemas de saúde na família.

PUBLICIDADE

“A ausência do presidente da Câmara fala por si só”, afirmou o senador Carlos Portinho (PL-RJ), que foi líder do governo Bolsonaro, à Coluna do Estadão. Presidente do PP e correligionário de Lira, o senador Ciro Nogueira (PI) segue a mesma linha: “Achei correto, ele é presidente da Câmara, não líder do governo. O evento é totalmente do PT”, disse à Coluna.

Nos bastidores, a informação é de que o gesto foi calculado. Ao não comparecer, Lira evita chancelar o ato político organizado por Lula. Mas, para não deixar dúvidas de que mantém a defesa da democracia de forma institucional e condena o ataque aos três Poderes, ele foi às redes sociais e afirmou que “todos os responsáveis devem ser punidos com o rigor da lei, dentro do devido processo legal”.

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL) Foto: Zeca Ribeiro

Apesar de a ausência do presidente da Câmara incomodar a base aliada a Lula, que sempre cobra mais fidelidade de Lira ao governo após seu partido ocupar o Ministério do Esporte e indicar a presidência da Caixa, o governo considerou melhor relevar a ausência. O líder do governo na Câmara, José Guimarães (PT-CE), afirma que não há qualquer sinal de crise na relação com o presidente da Casa.

“O período não ajuda, todos estão de recesso e com compromissos assumidos. Não vejo que isso seja motivo para abrir qualquer crise. Vamos continuar com a mesma relação, discutindo os projetos importantes para o país. Não vejo como sinal de crise com o governo”, minimiza o deputado.

Publicidade

Lira, como apurou o Broadcast/Estadão, avisou a Lula, no começo da noite de domingo, 7, que não poderá participar da solenidade desta segunda-feira. O deputado, que discursaria no evento, citou problemas de saúde na família e permaneceu em Alagoas.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.