PUBLICIDADE

EXCLUSIVO PARA ASSINANTES
Foto do(a) coluna

Coluna do Estadão

| Por Roseann Kennedy

Roseann Kennedy traz os bastidores da política e da economia, com Eduardo Gayer e Augusto Tenório

Único vereador da oposição é cassado em Embu das Artes

Abidan Henrique reclama de perseguição política e anunciou que vai recorrer

Foto do author Augusto Tenório
Foto do author Eduardo Gayer
Por Augusto Tenório e Eduardo Gayer

A Câmara Municipal de Embu das Artes (SP) cassou nesta quarta-feira, 28, o mandato do único vereador de oposição na cidade, Abidan Henrique (PSB), por 14 x1 e uma abstenção. Abidan reclama de perseguição política e anunciou que vai recorrer.

PUBLICIDADE

O político do PSB alega que foi alvo do processo por ter denunciado que o prefeito Ney Santos (Republicanos) teria retirado recursos da saúde e da segurança para financiar o festival Embu Country Fest, com a contratação de artistas como Wesley Safadão, Leonardo e Jorge e Mateus. A Prefeitura disse à Coluna do Estadão que não interfere em nenhum outro Poder.

Como mostrou a Coluna do Estadão, a data da votação foi marcada para esta semana, após o vereador fazer novas críticas ao prefeito e tentar barrar, judicialmente, o show do cantor Léo Santana, realizado no último dia 18. Procurada, a prefeitura afirmou apenas que “não interfere no Poder Legislativo ou em qualquer outro Poder que não lhe compete”.

Abidan Henrique Foto: Abidan Henrique

O pedido de cassação foi protocolado pelo presidente da Câmara, Gilson Oliveira (Republicanos), correligionário do prefeito. Para Oliveira, Abidan quebrou o decoro parlamentar ao dizer que os colegas “fugiram como ratos”, quando não compareceram a uma sessão para debater a realização do festival.

Os vereadores, ao votarem pela cassação, afirmaram que esse tipo de linguagem não pode ser utilizada para se referir a colegas parlamentares.

Publicidade

O vereador Gideon Santos (Republicanos), único a votar contrariamente à cassação de Abidan, afirmou que o colega “pode ter errado” ao se manifestar dessa maneira, mas pontuou que a perda do mandato seria exagero. “Já vi outros vereadores falarem coisas piores nesta Casa e nunca terem sido alvo de processo”, destacou o parlamentar, que adota postura de independência com relação ao gestor municipal.

“Se falar a verdade ao criticar a prefeitura, pedir por melhorias para a cidade e lutar pelo povo for crime, eu pago o preço que for. Tenho disposição e coragem para isso”, afirmou Abidan antes de perder o mandato.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.