PUBLICIDADE

Crise de 2002 foi provocada pelo risco-Lula e o efeito-PT, diz Alckmin

Ele rebateu a crítica feita pelo presidente sobre como recebeu a economia do País do ex-presidente Fernando Henrique

Por Agencia Estado
Atualização:

O candidato do PSDB à Presidência da República, Geraldo Alckmin rebateu as afirmações feitas hoje pelo adversário Lula, de que pegou o País com a economia "desarranjada". "Não pegou, ao contrário, herdou os benefícios do Plano Real", disse. Alckmin citou que a crise de 2002 foi provocada "pelo risco-Lula e o efeito-PT". Alckmin afirmou que sua campanha não será pautada pelo PT, numa referência ao embate que está sendo travado entre o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o ex-presidente tucano Fernando Henrique Cardoso. "Vou fazer uma campanha propositiva e não serei pautado pelo PT", reiterou. Alckmin fez essas declarações após o final do jogo que classificou a seleção brasileira para as quartas-de-final da Copa do Mundo da Alemanha. De acordo com o tucano, a estratégia é mostrar suas realizações no governo de São Paulo e o que o PT não fez no governo federal. "O governo FHC será defendido das críticas injustas do PT, pois criticar o antecessor é uma política atrasada", emendou. O candidato negou que a defesa do governo Fernando Henrique possa trazer algum problema para sua campanha. "Não vejo problemas em defender o governo FHC", afirmou. Apesar da declaração, setores da campanha tucana acreditam que não é conveniente trazer o ex-presidente para este debate eleitoral. Na tarde de hoje, Alckmin viaja para Brasília para participar à noite do "Arraial do José Jorge", organizado pelo seu candidato a vice. Amanhã, ele permanece na capital federal e, na quinta-feira, participa da convenção do PSDB em Roraima.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.