PUBLICIDADE

Ibama e PF apreendem 30 aves com documentos falsos mantidas em cativeiro no RJ

Entre as aves apreendidas estão espécies ameaçadas de extinção e exóticas; um homem foi preso

Foto do author Karina Ferreira
Por Karina Ferreira

Um homem foi preso em flagrante nesta sexta-feira, dia 1º, em uma operação contra crimes ambientais no Rio de Janeiro. A ação conjunta da Polícia Federal (PF) e do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) apreendeu 30 aves. Todas teriam sido compradas ilegalmente e estariam sendo mantidas em cativeiro, no bairro de Cascadura, zona norte da cidade.

PUBLICIDADE

Para tentar escapar da fiscalização, o homem teria apresentado documentos falsificados que garantiriam a licença para possuir as aves. Entre as aves, estavam espécies nativas do Sudeste Asiático e da Oceania, e outras brasileiras, como tucano, diferentes tipos de araras, papagaios e maritacas.

O homem poderá responder aos crimes de uso de documento falso, maus-tratos e manter em cativeiro animais silvestres sem a devida autorização. Além disso, poderá responder pelo crime de receptação, com pena de reclusão de um a quatro anos e multa.

Operação da PF e do Ibama apreendem 30 aves mantidas em cativeiro e com documentação falsa no Rio de Janeiro. Foto: Polícia Federal/RJ

Segundo a PF, as aves foram enviadas para o Centro de Triagem de Animais Silvestres do Ibama, e devem receber tratamentos adequados para, se possível, serem inseridas em seus habitats.

Em setembro deste ano, outra operação do Ibama apreendeu aves, mas essas compunham um conjunto de cadáveres de animais que estavam no Aeroporto Internacional de Guarulhos e seriam enviados via Correios para Estados Unidos, França e Espanha.

Na ocasião, a equipe de fiscais da operação encontrou frascos com bile de urso, pacotes com 15 kg de bexigas natatórias de espécies não identificadas, materiais de artesanato feitos com penas de aves silvestres, incluindo araras e papagaios, dentes de onça, jacaré e cateto, fragmentos de carapaças de quelônios, crânios de jacaré e aves de rapina, rabo de raia e corais.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.