PUBLICIDADE

Deputado quer dar nome do pai de Jair Bolsonaro a rodovia de São Paulo

Gil Diniz diz que Percy Geraldo Bolsonaro utilizou a Rodovia SP-163 ‘em suas andanças pelas cidades do vale para atender as pessoas’ como dentista prático; projeto de lei ainda será votado na Alesp

PUBLICIDADE

Foto do author Rafaela  Ferreira
Por Rafaela Ferreira

O deputado estadual Gil Diniz (PL) apresentou na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) um projeto de lei que estabelece a mudança do nome da Rodovia SP-163 para Percy Geraldo Bolsonaro, nome do pai do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL). A proposta foi publicada no Diário da Assembleia na última sexta-feira, 12.

No texto, o deputado justifica que homenagem é motivada por Percy ter “utilizado muito da Rodovia SP-163″, que liga Eldorado Paulista a Cananéia, em “suas andanças pelas cidades do vale” para atender as pessoas que “precisavam de seu ofício”. O pai de Bolsonaro atuava como dentista prático.

Jair Bolsonaro na inauguração do Colégio Percy Geraldo Bolsonaro, em Duque de Caxias, no Rio, em 2018 Foto: Fabio Motta/Estadão

PUBLICIDADE

“Sendo essa importante relação o que nos motivou a apresentar essa proposição que de uma forma ou outra será benéfica para a região e para a memória do Sr. Percy Geraldo Bolsonaro, que em 7 de novembro de 1995 faleceu, deixando, além do seu legado altruísta, a sua imagem e personificação na representação do seu filho, Jair Messias Bolsonaro, como presidente da nação. Sendo certo que propomos o presente projeto de lei, diante a nobreza de seus atos durante a vida, ajudando milhares de pessoas necessitadas e vulneráveis”, diz o texto. O projeto de lei precisa ser aprovado pela Alesp e sancionado pelo governador Tarcísio de Freitas (Republicanos).

Em 2018, uma escola em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, recebeu o nome do pai de Jair Bolsonaro. A unidade foi o terceiro colégio da Polícia Militar do Estado do Rio e foi instalada em prédio cedido pela prefeitura no Jardim Gramacho. Na época, Bolsonaro disse que o pai não era professor, mas “naquele tempo exercia-se a autoridade, e com o tempo fomos perdendo tudo isso aí”.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.