PUBLICIDADE

Juíza diz que Mamãe Falei desrespeitou ucranianas e nega pedido de indenização contra Boulos

Deputado do PSOL disse que Arthur do Val ‘foi cassado porque foi assediar mulher em guerra lá na Ucrânia’; Justiça de São Paulo considerou que ex-parlamentar de fato as ‘importunou e menosprezou’

Por Alessandra Monnerat
Atualização:

A Justiça de São Paulo negou pedido de indenização por danos morais movido pelo ex-deputado estadual Arthur do Val, o Mamãe Falei, contra o deputado federal Guilherme Boulos (PSOL-SP). O líder do MBL pedia retratação por Boulos ter afirmado que ele “foi cassado porque foi assediar mulher em guerra lá na Ucrânia”. A juíza Marcela Filus Coelho, da 1ª Vara da Juizado Especial Cível, negou o pedido de Mamãe Falei por entender que o assédio realmente ocorreu. “Fica claro que ele de fato desrespeitou as mulheres”, escreveu ela na sentença.

PUBLICIDADE

Na decisão, publicada na quarta-feira, 16, a juíza destaca trecho de áudio em que do Val diz que as mulheres ucranianas “são fáceis, porque elas são pobres”. O áudio foi gravado em 2022, quando o ex-parlamentar passou a semana de Carnaval na Ucrânia com a justificativa de acompanhar a guerra no país do Leste Europeu. Ele foi cassado em maio do ano passado, por quebra de decoro parlamentar, e tornou-se inelegível por 8 anos.

A respeito do áudio, a juíza escreve: “Ainda que o autor (Mamãe Falei) negue a prática de ato ofensivo, no áudio fica claro que ele de fato desrespeitou as mulheres. Ao dizer: ‘colei em duas minas’, as quais, segundo a sua opinião, são ‘fáceis’, revela que sua intenção era objetificá-las e menosprezá-las, até porque, também segundo a sua concepção, ‘elas são pobres’”.

O ex-deputado estadual Arthur do Val (DEM-SP) Foto: Divulgação/Alesp

Coelho afirma ainda na decisão que Boulos não acusou do Val de assédio sexual, como descrevia a petição inicial do líder do MBL. “O demandado (Boulos) aludiu apenas ao termo assédio, no sentido de insistência impertinente, fato que ocorreu. O demandante (Mamãe Falei), ao relatar que ‘colou’ nas ‘minas’ ‘fáceis’ e ‘pobres’, revela que lá esteve para importunar e menosprezar quem enfrenta uma guerra”, escreveu na sentença.

Outro ponto mencionado no pedido de indenização movido por Mamãe Falei diz respeito à fala de Boulos sobre a viagem ter sido paga com dinheiro público. A juíza pondera que, embora não tenham sido apresentadas provas de que as despesas de passagem e estadia foram pagas pelo erário, “não há, igualmente, demonstração de que não o foram”.

O deputado Guilherme Boulos deve disputar a Prefeitura de São Paulo nas próximas eleições, com apoio do PT, e desponta como principal opositor ao atual prefeito Ricardo Nunes (MDB). Como mostrado pelo Estadão, os dois reinam praticamente sozinhos na articulação pública para viabilizarem suas candidaturas na arrancada eleitoral para 2024.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.