PUBLICIDADE

Lula agradece à África ‘por tudo o que foi produzido durante 350 anos de escravidão’; veja o vídeo

Declaração foi feita em Cabo Verde, ao lado do presidente José Maria Neves; petista se comprometeu a recuperar a relação do Brasil com o continente africano

Foto do author Sofia  Aguiar
Foto do author Caio Spechoto
Por Sofia Aguiar e Caio Spechoto
Atualização:

BRASÍLIA – O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou, nesta quarta-feira, 19, ter gratidão à África “por tudo o que foi produzido pelos 350 anos de escravidão” no Brasil. Ao lado do presidente de Cabo Verde, José Maria Neves, no País africano, o petista se comprometeu a recuperar a relação com o continente.

PUBLICIDADE

”Quero recuperar a relação com continente africano porque nós brasileiros somos formados pelo povo africano, a nossa cultura, nossa cor, nosso tamanho é resultado da miscigenação entre índios, negros e europeus”, disse Lula, ao lado de Maria Neves em Praia, capital de Cabo Verde.

“Nós temos uma profunda gratidão ao continente africano por tudo o que foi produzido durante 350 anos de escravidão no nosso País.”

Presidente Lula esteve em Bruxelas antes de seguir para Cabo Verde Foto: François Walschaerts/ AFP

O presidente costuma dizer que o Brasil tem uma dívida histórica com países africanos por causa da escravidão. Lula disse que a “forma de pagamento” possível é investimento em tecnologia, formação e ajuda na industrialização e no setor agrícola da África.

Na fala, o brasileiro também falou sobre a pretensão de abrir embaixadas do Brasil em países africanos que ainda não têm. “O Brasil tem potencial de ajudar o continente africano em muitas atividades”, acrescentou.

Lula mencionou que o País ficou afastado do mundo nos últimos anos. De acordo com ele, a democracia no Brasil voltou e as pessoas que tentaram “dar o golpe no 8 de janeiro” serão punidas.

Ao lado do petista, Maria Neves elogiou a liderança do brasileiro. “Lula tem trazido essa grandeza ao Brasil e tem se colocado no mundo a altura dos desafios que o mundo enfrenta”, afirmou. Na avaliação dele, o mundo precisa de “lideranças visionárias, transformadoras e catalisadoras”. ”O Brasil regressa ao mundo pelas mãos de Lula e esta a trazer a grandeza do Brasil”, disse, falando sobre a expectativa de fazer uma visita ao País.

Publicidade

Críticas à declaração

Após a declaração de Lula, parlamentares da oposição criticaram, nas redes sociais, a fala do presidente sobre o período da escravidão. O senador Sérgio Moro (União Brasil-PR), em uma publicação em inglês, questionou: “Essa afirmação poderia ser mais infeliz?”.

O deputado federal Gustavo Gayer (PL-GO) compartilhou o vídeo do discurso em Cabo Verde e questionou como seria a divulgação da frase se ela tivesse sido dita pelo ex-presidente Jair Bolsonaro (PL). “Imagina se fosse o Bolsonaro dizendo isso”, disse.

O também deputado Nikolas Ferreira (PL-MG) afirmou que a esquerda estava em “silêncio” após o pronunciamento do petista e sugeriu que a repercussão seria outra se tivesse “saído da boca” do ex-presidente.

O deputado Sóstenes Cavalcante (PL-RJ) classificou a declaração como “absurda”. “Lula ‘agradece’ pela escravidão; que declaração absurda!”, disse.

CONTiNUA APÓS PUBLICIDADE

O deputado Daniel Freitas (PL-SC) foi mais enfático ao criticar o presidente, a quem chamou de “sujeito abjeto” em uma publicação no Twitter. “É inacreditável pensar que este sujeito abjeto é o presidente do nosso País.”

Outro deputado do PL que criticou Lula após o pronunciamento foi Zé Trovão (PL-SC). Em um vídeo nas redes sociais, afirmou que o pronunciamento do presidente é um reflexo do plano de governo. “Ele agradece o crescimento do Brasil nas mãos dos escravos. Como se isso fosse uma dádiva, como se isso fosse um presente divino. O que eu tenho a dizer para vocês é que essa fala dele reflete bem aquilo que ele é e aquilo que ele está tentando fazer com o Brasil”, disse.

Nesta quinta-feira, 20, a equipe que elabora os discursos do presidente Lula passou a ter um reforço. Um dia depois da declaração sobre a África, a assessora de imprensa da primeira-dama, Rosângela da Silva, a Janja, passou a “colaborar com a preparação e redação de discursos e falas públicas” no gabinete do presidente.

Publicidade

Presidente participou de cúpula em Bruxelas

Lula retornou ao Brasil na quarta, após participar da 3ª Reunião de Cúpula da Comunidade dos Estados Latino-Americanos e Caribenhos (Celac) e União Europeia (UE), em Bruxelas, na Bélgica. Durante o regresso, o chefe do Executivo fez uma parada em Cabo Verde, onde se reuniu com o presidente do País.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.