PUBLICIDADE

Luta pela recuperação da Petrobrás é do meu governo, afirma Dilma

Presidente saiu em defesa da estatal, assolada por denúncias de corrupção investigadas na Operação Lava Jato, durante anúncio do novo ministro da Educação

Por Ricardo Brito , Rafael Moraes Moura e Lisandra Paraguassu
Atualização:

Atualizado às 17h14

BRASÍLIA - A presidente Dilma Rousseff fez nesta segunda-feira, 6, em solenidade de posse do novo ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, uma defesa enfática da Petrobrás, assolada pelo escândalo de corrupção investigado pela Operação Lava Jato. Ao defender o modelo de exploração de partilha em relação ao de concessão, a presidente destacou que os recursos dos royalties do pré-sal não são mais uma promessa, e sim uma realidade. Segundo ela, essa verba vai viabilizar uma "verdadeira revolução na educação brasileira". 

Para a presidente Dilma Rousseff, luta pela recuperação da Petrobrás está em curso Foto: AFP

PUBLICIDADE

"Essa fonte já está em atividade e, mais do que isso, vai garantir uma renda sistemática nos próximos anos", disse a presidente. Ela citou que hoje são extraídos 660 mil barris por dia de pré-sal, o dobro do que era explorado há um ano, e destacou que 27% da produção do petróleo no País vêm da camada pré-sal.

Para a presidente, a recuperação da Petrobrás "está em curso". "Tenho certeza de que a luta pela recuperação da Petrobrás está em curso, é minha, do meu governo e tenho certeza de que interessa a todo o povo brasileiro", afirmou. "O que está em jogo na defesa da Petrobrás e do pré-sal é a nossa soberania e o futuro do nosso país", completou.

A fala da presidente ocorre em meio aos recentes posicionamentos de políticos do PSDB contrários ao modelo atual de partilha do pré-sal, que prevê uma participação mínima da estatal em todos consórcios que vão explorar os campos.Recentemente, o senador José Serra (SP) protocolou um projeto de Lei no Senado que altera esse regime de partilha. Além disso, o próprio ex-presidente Fernando Henrique Cardoso também defendeu mudanças no modelo de partilha do pré-sal.

Feliz novidade. Na solenidade, Dilma afirmou que a escolha de Janine Ribeiro é uma "feliz novidade" e, ao compará-lo a uma série de educadores brasileiros como Paulo Freire, Anísio Teixeira e Darcy Ribeiro, disse que seu nome traduz a maior prioridade para os próximos quatro anos.

No discurso de posse da sua reeleição, em janeiro, Dilma lançou o lema "Pátria Educadora", mas, pressionada pelo PMDB, teve de trocar o titular anterior da pasta, Cid Gomes (PROS), após ele ter feito críticas ao Congresso Nacional. "Minhas primeiras palavras são de agradecimento a Cid Gomes por ter cancelado seus projetos pessoais para assumir o Ministério da Educação", lembrou, ao desejar-lhe sucesso nos novos projetos pessoais.

Publicidade

Em solenidade que contou com a presença de poucos políticos, a presidente disse que não faltarão a Janine Ribeiro dedicação e competência para conduzir os desafios do ministério.

Dilma também prometeu discutir com Estados e municípios diretrizes de uma carreira nacional dos professores, além de aprimorar a formação de diretores de escolas e incentivar boas experiências de excelência no ensino.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.