PUBLICIDADE

Ibope revela desgaste de Bolsonaro na área ambiental

Segundo pesquisa, a desaprovação na área aumentou de 45% para 55% entre junho e setembro; e 50% desaprovam a forma de governa

PUBLICIDADE

Foto do author Julia Lindner
Por Julia Lindner
Atualização:

BRASÍLIA – Pesquisa Ibope publicada nesta quarta-feira, 25, demonstrou a continuidade da tendência paulatina de desgaste do presidente Jair Bolsonaro, com leve oscilação para baixo na taxa de aprovação ao governo. Houve alteração significativa, porém, no nível de insatisfação com a atuação na área ambiental. Segundo o levantamento, a taxa de desaprovação nesse setor aumentou de 45% para 55% entre junho e setembro deste ano.

A pesquisa, feita a pedido da Confederação Nacional da Indústria (CNI), mostrou que metade da população (50%) desaprova a maneira de Bolsonaro governar o País. Na pesquisa anterior, feita três meses atrás, a taxa de desaprovação ao desempenho pessoal do presidente era de 48%. A aprovação, por sua vez, passou de 46% para 44% no mesmo período.

O presidente Jair Bolsonaro, durante discurso na Assembleia-Geral da ONU Foto: Stephanie Keith/Getty Images/AFP

Na série histórica do Ibope desde o início do governo, esta é a segunda pesquisa em que o porcentual de entrevistados que desaprovam Bolsonaro é marginalmente maior que o dos que a aprovam.

Desde janeiro, a aprovação da maneira de governar do presidente caiu 23 pontos porcentuais, de 67% para 44%. Já a desaprovação subiu 29 pontos: foi de 21% para 50%.

PUBLICIDADE

Segundo o levantamento, entre junho e setembro, a parcela da população que considera o governo Bolsonaro ótimo ou bom oscilou de 32% para 31%. O porcentual que avalia a atual administração como ruim ou péssima oscilou de 32% para 34%, no mesmo período. As variações ocorreram dentro da margem de erro da pesquisa, mas confirmaram a tendência apontada anteriormente de aumento do desgaste da gestão.

Em outro quesito do levantamento, 55% dos entrevistados afirmaram não confiar no presidente. A taxa era de 51% em junho. Já os que confiam caíram de 46% para 42% entre uma pesquisa e outra. 

O Ibope, além de registrar aumento na desaprovação à gestão ambiental, detectou que as notícias sobre o governo mais lembradas pela população se referem justamente ao meio ambiente. O governo foi, recentemente, alvo de fortes críticas no Brasil e no exterior por causa do aumento das queimadas na Amazônia.

Publicidade

Um em cada cinco dos entrevistados pela pesquisa lembraram de notícias relacionadas ao meio ambiente, considerando as queimadas na região amazônica e os embates entre Bolsonaro e o presidente da França, Emmanuel Macron.

O segundo grupo de notícias mais lembrado (11%) se refere à saúde do presidente, que no dia 8 de setembro passou pela quarta cirurgia após a facada que recebeu na campanha eleitoral.

Na análise por área de atuação do governo, a desaprovação é mais alta em relação aos impostos (62%) e à taxa de juros (61%). Outro tema onde houve aumento de desgaste é o combate à fome e à pobreza, cuja desaprovação subiu de 51% em junho para 57% em setembro. No combate ao desemprego, a desaprovação passou de 55% para 59% no mesmo período.

O tema mais bem avaliado continua sendo a segurança pública, cuja aprovação é de 51%. A área é comandada pelo ministro da Justiça, Sérgio Moro, que foi enaltecido como “símbolo nacional” por Bolsonaro em discurso na Assembleia-Geral das Nações Unidas.

Na segmentação geográfica do eleitorado, a maior taxa de desaprovação ao presidente é registrada no Nordeste (61%). No Norte/Centro-Oeste, é de 40%. 

O Ibope ouviu 2 mil pessoas em 126 municípios entre 19 e 22 de setembro. O levantamento anterior havia sido realizado de 20 a 26 de junho. A margem de erro é de dois pontos porcentuais para mais ou para menos.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.