Número de eleitores jovens volta a crescer em ano de disputa municipal; veja quantos são no País

Quantidade de brasileiros de 16 e 17 anos que emitiram o título está 14% maior em relação ao pleito de 2020

PUBLICIDADE

Foto do author Julia Camim
Por Julia Camim
Atualização:

Até janeiro deste ano, o número de eleitores com menos de 18 anos já está 14% maior em relação às últimas eleições municipais, de 2020. O crescimento interrompe quedas sucessivas registradas pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) nos dois últimos pleitos municipais. O voto para jovens de 16 a 17 anos é facultativo.

De acordo com o TSE, até janeiro 1.176.133 jovens de 16 e 17 anos estavam aptos para votar nas eleições municipais do dia 6 de outubro. Eventual segundo turno deve ocorrer no último domingo do mês (dia 27). Como comparação, em 2020, eram 1.030.563 eleitores nesta faixa etária.

Apesar do aumento de eleitores com menos de 18 anos este ano, pleitos municipais costumam engajar menos do que as disputas para presidente Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

PUBLICIDADE

No pleito municipal de 2012, o número de eleitores com menos de 18 anos chegou a 2.902.621. As eleições de 2016 e 2020 apresentaram quedas consecutivas, com 2.311.120 e 1.030.563 respectivamente.

Ao TSE, a cientista política e doutora pela Universidade de Brasília (UnB) Marcela Machado explicou que a história recente da política brasileira pode ser um dos fatores que fizeram os jovens se interessarem pelas eleições. “As pessoas estão muito mais conscientizadas de que a política é algo que toca a todo mundo, e muito dessa conscientização é por conta das redes sociais: vídeos, ações e linguagens mais palatáveis para atingir esse público”, afirmou Marcela.

Eleitores com menos de 18 anos

  • 2012: 2.902.621
  • 2016: 2.311.120
  • 2020: 1.030.563
  • 2024: 1.176.133

Segundo as estatísticas divulgadas pelo TSE, proporcionalmente a maior parte dos eleitores com idade menor que 18 anos está localizada no Estado do Tocantins, onde a faixa etária corresponde a 0,14% do total. Os segundo e terceiro lugares são ocupados pelo Piauí, onde os jovens representam 0,11% dos eleitores, e Paraíba, Estado em que somam 0,10% do eleitorado.

Já os menores índices são de São Paulo, onde apenas 0,027% do eleitorado tem de 16 a 17 anos, Rio de Janeiro, com 0,022%, e Distrito Federal, onde os jovens representam apenas 0,015% do total de eleitores.

Publicidade

O TSE atribui parte do aumento do número de jovens eleitores em 2024 a campanhas realizadas em 2022 que incentivaram esse público a conhecer o processo eleitoral e a emitir o título.

Apesar do aumento de eleitores com menos de 18 anos este ano em comparação com a eleição de 2020, os pleitos municipais costumam engajar menos do que as disputas para presidente e governador, por exemplo. Em 2022, eram 2,1 milhões de eleitores de 16 a 17 anos.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.