PUBLICIDADE

Após desistências, disputa pela presidência da Câmara dos Deputados terá 14 candidatos

Beto Mansur (PRB), Maria do Rosário (PT) e Fausto Pinato (PP) retiraram candidaturas no início da tarde; nomes ainda poderiam ser retirados até as 15h

Foto do author Julia Lindner
Por Isabela Bonfim, Ricardo Brito e Julia Lindner
Atualização:
O plenário da Câmara dos Deputados Foto: Dida Sampaio|Estadão

BRASÍLIA - Com a saída de Beto Mansur (PRB-SP),Maria do Rosário (PT-SP) e Fausto Pinato (PP-SP)  da disputa pela sucessão de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) na presidência da Câmara, o pleito terá 14 candidatos.

PUBLICIDADE

O candidato com maior apoio do chamado Centrão, Rogério Rosso (PSD-DF), operou pela desistência de candidatura de outros potenciais rivais. Ao retirar seu nome do pleito, Beto Mansur anunciou apoio a Rosso e disse que defendia a "unidade".Fausto Pinato teria seguido a mesma orientação.

Maria do Rosário, por outro lado, se candidatou faltando apenas três minutos para o fim do prazo e já ponderando que talvez retirasse seu nome da disputa. "Retirei a candidatura porque o PT entendeu que deveria fazer uma política de unidade. O pior cenário da eleição é Maia e Rosso no segundo turno", disse a deputada. Ela defende que o PT deveria apoiar Luiza Erundina (Psol-SP) ou Orlando Silva (PC do B-SP).

Entretanto, o líder do PT, Afonso Florence (BA), disse que pelo menos 48 dos 58 votos da bancada seriam para o peemedebista Marcelo Castro (PMDB-PI), que foi ministro de Dilma Rousseff e votou contra o impeachment da petista. Junto com o PDT, o partido acredita que deve apoiar Castro como uma reação ao governo Temer. O deputado conta com o apoio também de parte do PMDB.

O deputado Carlos Manato (SD-ES) não retirou sua candidatura, mas de acordo com outros membros do partido, ele não é o candidato oficial da sigla e não terá o apoio da bancada. Dessa forma, seu nome na disputa deve ter caráter simbólico. Rodrigo Maia (DEM-RJ) também é um nome forte na disputa. Além de seu próprio partido, ele deve contar com o apoio do PSDB, PPS e PSB.

Mansur anunciou a retirada de sua candidatura no início da tarde desta quarta-feira, 13, e declarou apoio ao nome de Rogério Rosso. "Estou retirando em prol da unidade. Faço isso porque havia um número elevado de candidatos e ninguém sabe quem irá para o segundo turno", afirmou Mansur em entrevista coletiva à imprensa realizada no Salão Verde da Câmara.

O PRB, do qual o deputado faz parte, integra o chamado centrão, que lançou oito nomes para disputar o comando da Casa. Essa pulverização de candidaturas deverá ajudar na campanha do principal adversário de Rosso, o deputado Marcelo Castro. Apesar de ser do PMDB, mesmo partido do presidente em exercício, Michel Temer, Castro não conta com o apoio do Palácio do Planalto. O peemedebista foi ministro da Saúde do Governo Dilma Rousseff e votou contra o impeachment da petista. Segundo Beto Mansur, a sua decisão de retirar a candidatura não foi incentivada por integrantes do governo. "Não falei com o Temer. Não recebo ordens de ninguém. Estou no meu quinto mandato", disse.

Publicidade

Antes do início da sessão, previsto para as 16 horas, Rosso ainda deve conversar com outros candidatos que representam o centrão. Entre eles, Cristiane Brasil (PTB-RJ). "Foi fundamental esse desprendimento do deputado (Beto Mansur) e de apoiar nossa candidatura. O PRB agora está todo junto conosco", afirmou Rosso.

O númerode candidatosreflete a pulverização da eleição após a dificuldade do governo em apoiar uma candidatura única. A quantidade de deputados na disputa, contudo, ainda pode diminuir mais, já que os candidatos podiam desistir do pleito até as 15h.

Os registros de candidatura se encerraram ao meio-dia, mas é possível que o número de candidatos diminua conforme as bancadas definam quem vão apoiar. A candidata Maria do Rosário (PT-RS), por exemplo, se candidatou faltando apenas 3 minutos para encerrar o prazo, mas já considera sair do pleito. Ela irá confirmar com a liderança do PT se a candidatura não atrapalha a orientação da bancada de apoiar Marcelo Castro. O deputado Orlando Silva (PC do B-SP) foi o penúltimo a se registrar, às 11h38.

A votação é secreta e feita em cabines. Após o resultado do primeiro turno, será feito um intervalo de uma hora para que se inicie a votação do segundo turno entre os dois candidatos mais votados. 

PUBLICIDADE

Os dezessete candidatos terão, cada um, dez minutos para discursar e apresentar suas propostas. A ordem dos discursos foi definida há pouco em sorteio. O candidato Rodrigo Maia, que conta com o apoio do PSDB, PPS e PSB, será o primeiro a discursar. O último a falar será Orlando Silva.

Veja a sequência completa dos discursos: 1º Rodrigo Maia (DEM-RJ) 2º Evair Vieira de Melo (PV-ES) 3º Miro Teixeira (Rede-RJ) 4º Giacobo (PR-PR) 5º Cristiane Brasil (PTB-RJ) 6º Luiza Erundina (Psol-SP) 7º Fabio Ramalho (PMDB-MG) 8º Carlos Manato (SD-ES) 9º Carlos Henrique Gaguim (PTN-TO) 10º Marcelo Castro (PMDB-PI) 11º Rogério Rosso (PSD-DF) 12º Gilberto Nascimento (PSC-SP) 13º Esperidião Amin (PP-SC) 14º Orlando Silva (PC do B-SP)