PUBLICIDADE

Tarcísio de Freitas abre balanço do primeiro ano de mandato dizendo que ‘habitação é prioridade’

Evento ocorre após presidente Lula impulsionar Guilherme Boulos por meio de evento do Minha Casa, Minha Vida na zona leste da capital paulista para anunciar construção de apartamentos na área da Copa do Povo

Foto do author Heitor Mazzoco
Por Heitor Mazzoco
Atualização:

Três dias depois de o presidente Luiz Inácio Lula da Silva colocar o deputado federal Guilherme Boulos (PSOL-SP) no palanque do Minha Casa, Minha Vida para anunciar 2.600 moradias na Copa do Povo, na Zona Leste da capital paulista, o governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos), abriu o balanço do primeiro ano de mandato falando sobre habitação, área que classificou como “prioridade”.

PUBLICIDADE

O assunto ficou à frente de saúde e educação, por exemplo. Tarcísio disse que, apenas neste ano, foram 18 mil moradias entregues por meio do programa estadual Casa Paulista. “Hoje, são 103.500 unidades em produção. Já nos preparamos para mais 101 mil residências. Em breve, vamos chegar nas 200 mil que prometemos”, afirmou o governador.

Tarcísio citou ainda um evento do governo paulista que ocorreu na Neo Química Arena, estádio do Corinthians, também na zona lesta da capital. “Olha que bacana, a gente encher o estádio do Corinthians para entregar 11 mil escrituras”, disse sobre documentação para regularização de moradia. No total, segundo ele, durante todo ano, 63 mil escrituras foram entregues em todo o território paulista.

Olho na eleição: Balanço de Tarcísio deu maior destaque para habitação, área em que Guilherme Boulos demonstra força Foto: Francisco Cepeda | Governo do Estado SP

Tarcísio ainda citou que não basta construir casas populares, mas há necessidade de reformar casas antigas — entregues, por exemplo, há três décadas.

De acordo com o chefe do Poder Executivo de São Paulo, 23 mil moradias foram reformadas neste ano pelo governo paulista. Ele citou que outras 43 mil unidades estão com reforma em andamento.

Rodoanel Norte deve ser entregue em 2026, projeta Tarcísio

O governador Tarcísio de Freitas disse que a mobilização de trabalhadores para dar continuidade na obra do Rodoanel Norte começou. A obra foi iniciada em 2013 e, até o momento, não foi entregue. Agora, a última etapa do Rodoanel Mário Covas está prevista para 2026. Para quem não sabe, a mobilização já está começando. O Rodoanel será feito em duas etapas para que em 2026 esteja pronto”, disse Freitas.

Entre os benefícios do Rodoanel Norte, está a alça de acesso para Guarulhos, o que facilitará a chegada ao Aeroporto Internacional de São Paulo/Garulhos. Há ainda previsão de diminuição de veículos na marginal Tietê, com a possibilidade de os motoristas que saírem de Minas Gerais, Rio de Janeiro e da região do Vale do Paraíba não precisarem passarem pela marginal.

Publicidade

Sem citar Poder Judiciário, governador faz críticas na área de Segurança

Ao falar sobre Segurança Pública, Tarcísio fez crítica indireta ao Poder Judiciário. O governador afirmou que não adianta prender um criminoso se ela será solto depois.

“A gente não pode prender 4, 5 vezes o mesmo traficante e ele ser posto em liberdade. A gente não pode ter uma pessoa que acabou de ser liberada por audiência de custódia cometendo crime novamente. Vamos ter que pensar numa solução enquanto sociedade para combater isso”, disse.

Em coletiva de imprensa, Tarcísio de Freitas classificou a situação como frustrante, principalmente com a reincidência. Ele afirmou ter conversando com o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso, para tentar achar um caminho para tentar levar mais segurança aos moradores de São Paulo.

“O que vai fazer com aquele cara que é preso 14 vezes? E ele volta praticando crime do mesmo jeito. Traz uma frustração. Com as ferramentas que temos, com a legislação, como podemos melhorar? Dar mais segurança? Em qual lugar posso colocar mais efetivo? Qual tipo de monitoramento? São questionamentos que a gente se faz e o que queremos é aperfeiçoar”, disse Freitas.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.