PUBLICIDADE

TSE torna Luciano Hang inelegível por 8 anos

Tribunal também cassou mandato do prefeito de Brusque, Ari Vequi, por abuso de poder econômico

Foto do author Lavínia  Kaucz
Por Lavínia Kaucz

BRASÍLIA - O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu nesta quinta-feira, 4, por maioria, cassar os mandatos do prefeito de Brusque, em Santa Catarina, Ari Vequi, e do vice, Gilmar Doerner, por abuso de poder econômico nas eleições de 2020. Também tornou o empresário Luciano Hang, dono das Lojas Havan e aliado do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), inelegível por oito anos.

PUBLICIDADE

A decisão atende a pedido do Podemos, PT, PSB e PV, que alegaram que Hang usou a estrutura e marca das Lojas Havan para influenciar o resultado do pleito em favor da chapa de Vequi.

Para o ministro Alexandre de Moraes, que proferiu o voto vencedor, “o conjunto probatório revela não apenas a participação direta do investigado Luciano Hang nos atos abusivos, mas, sim, evidencia que os candidatos concorreram com os atos, tendo em vista a participação em eventos ilícitos, consubstanciados em live e em evento dentro das Lojas Havan”.

O placar ficou em 5 a 2. Moraes divergiu do relator, Ricardo Lewandowski, que proferiu seu voto antes de se aposentar da Corte. O ministro Raul Araújo foi o único a seguir Lewandowski.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.