PUBLICIDADE

Vídeos mostram que Tropa de Choque desfez barreira no Congresso e facilitou invasão ao STF

Polícia Judicial do STF chegou a emprestar equipamentos de proteção a policiais militares que não estavam preparados para conter multidão

Foto do author Weslley Galzo
Por Weslley Galzo
Atualização:

BRASÍLIA - Vídeos captados pelas câmeras externas do Supremo Tribunal Federal (STF) flagraram o momento em que a Tropa de Choque da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) desmontou um bloqueio tático posicionado próximo ao Congresso Nacional, no último dia 8, que servia para impedir a invasão dos golpistas aos demais prédios públicos localizados na praça dos Três Poderes. As imagens acessadas pelo Estadão mostram que o recuo dos agentes da PM facilitou o acesso dos extremistas ao edifício sede da Suprema Corte.

O bloqueio foi montado a 500 metros do STF e era composto por seis viaturas da Tropa de Choque, um ônibus, um blindado modelo centurion (caminhão com jato de água para conter grandes multidões) e dezenas de agentes. Os vídeos mostram que nenhum dos policiais posicionados na barreira chegou a disparar armas não letais com o objetivo de dispersar a multidão bolsonarista.

PUBLICIDADE

O cordão de isolamento foi posicionado no topo da rampa de acesso que faz a ligação entre o Congresso e o STF. Naquele momento, os prédios da Câmara e do Senado já haviam sido tomados pelos golpistas, assim como o topo das estruturas onde ficam as cúpulas de cada Casa. Nos 30 minutos em que o bloqueio aparece nas imagens, nenhum bolsonarista conseguiu furar a proteção policial.

As filmagens do circuito externo do STF também mostram o momento em que um carro comum da PM do Distrito Federal se aproxima do cordão de isolamento montado pela Tropa de Choque e um agente sai do veículo para falar com os policiais. Depois de uma rápida conversa, as viaturas do Choque abandonam a posição, deixando para trás poucos agentes com a responsabilidade de conter a multidão de extremistas.

Sem o poderio ostensivo e a barreira física criada pelas viaturas, os bolsonaristas conseguiram romper com facilidade o cerco policial e acessar a Praça dos Três Poderes rumo ao STF. O Centurion, que ainda estava no local, não chegou a ser usado para dificultar a locomoção dos extremistas.

Golpistas depredam plenário do STF usando até mangueira de incêndio Foto: Reprodução

Para a equipe técnica do STF os vídeos são fortes indicações de que o ato da PM teria sido feito a partir de alguma orientação superior. O bloqueio próximo ao Congresso exercia a função de contenção e protegia a Praça dos Três Poderes, onde estão o Palácio Planalto e o prédio do STF.

Às 15h25 do dia 8, os bolsonaristas já cercavam o prédio do STF. Agentes da PM chegaram a ajudar no cercamento da Corte, mas a Polícia Judicial precisou emprestar equipamentos de proteção aos policiais do DF, que não contavam com munições e roupas próprias para a contenção de crises envolvendo multidões.

Publicidade

Pouco mais de vinte minutos após a Tropa de Choque desfazer a barreira, a Polícia Judicial reconheceu em conversas por rádio que o edifício sede foi tomado. Às 15h44, o comando da Corte ordenou que os agentes recuassem para impedir qualquer tentativa de acesso aos anexos, onde ficam os gabinetes dos ministros.

As imagens captadas pelo STF foram encaminhadas à Polícia Federal (PF). A corporação coordena as diligências do inquérito, sob relatoria do ministro Alexandre de Moraes, que busca identificar os apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) envolvidos na tentativa de golpe.

Destruição dos rastros

Durante a invasão, os golpistas se preocuparam em destruir as câmeras do circuito interno do STF. Um bolsonarista chegou a usar uma maca dos brigadistas da Corte para danificar os equipamentos de captura.

PUBLICIDADE

As imagens captaram o momento em que dois golpistas destruíram bustos de mármore da República e do magistrado Epitácio Pessoa. Logo nos primeiros momentos do ataque, um grupo rouba as togas dos ministros na antessala do Salão Branco, enquanto outro extremista usa a mangueira de contenção de incêndio para danificar obras de arte e o plenário do STF. Ainda no plenário, houve uma tentativa sem sucesso de atear fogo nos livros dos ministros.

No dia 8, a reportagem do Estadão entrou na Corte, por volta das 16h, e encontrou o cenário de destruição causado pelos golpistas. As imagens gravadas naquele dia mostram o plenário completamente depredado e as paredes externas do STF pichadas. Um dos vídeos da área interna da Corte mostra que os extremistas chegaram a se sentar nas cadeiras dos ministros, como se encenassem a tomada do poder.

No caminho até o tribunal foi possível identificar a inação de agentes da PM, que chegaram a abandonar suas posições para comprar água de coco em meio à crise instalada na Praça dos Três Poderes.

O STF agora estuda medidas para fortificar as barreiras de segurança, como a troca dos vidros antivadalismo do edifício sede por películas com blindagem. A Corte não descarta comprar veículos blindados, como o Centurion da PM, para se precaver de ataques realizados por multidões.

Publicidade

Entenda o passo a passo da invasão ao STF:

1º Viaturas da Tropa de Choque desmontam bloqueio montado no Congresso

2º Golpistas avançam sobre agentes da Tropa de Choque e marcham rumo ao STF

3º Na chegada à Praça dos Três Poderes, Polícia Judicial contém parte dos golpistas com bombas de efeito moral e gás lacrimogêneo

4º Golpistas cercam o prédio do STF e realizam ataque “multidirecional”, com investidas pela frente, pelo lado direito e por trás

5 º Bolsonaristas invadem o STF pela lateral e acessam o Salão Branco

6º STF é tomado pelos golpistas

7º Polícia Judicial, Comando de Operações Táticas (COT) da Polícia Federal e Batalhão de Operações Especiais (Bope) da PM bloqueio o acesso aos anexos, onde fica os gabinetes dos ministros

Publicidade

8º Polícia Judicial prendeu oito golpistas que tentaram acessar os anexos pela passagem subterrânea

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.