PUBLICIDADE

Chuva mata 3 no interior de SP; mãe e filha se afogam ao tentar impedir enxurrada de levar carro

Duas mulheres ficaram presas debaixo do automóvel durante temporal em Limeira; já na cidade de Sorocaba, uma idosa não conseguiu sair do veículo

Por Fabio Grellet
Atualização:

Duas mulheres – mãe e filha, de 70 e 35 anos, respectivamente – morreram afogadas ao tentar impedir que a enxurrada arrastasse o carro da família, em Limeira, no interior de São Paulo, na tarde desta sexta-feira, 19. Elas ficaram presas embaixo do veículo. Já em Sorocaba, também no interior paulista, uma idosa de 74 anos não conseguiu sair do automóvel quando subia o nível da água na avenida por onde passava.

Em Limeira, segundo a Polícia Militar, o Fiat Palio prateado que pertencia à família de Joana Isidora de Melo estava na Rua Pedro Targino da Silva, no bairro Las Palmas. Por volta das 17h30, a enxurrada que tomou conta da rua devido ao temporal que atingia a cidade começou a arrastar o veículo.

Mãe e filha morreram afogadas ao tentar retirar carro de enxurrada em Limeira Foto: Defesa Civil do Estado de SP/Divulgação

PUBLICIDADE

Joana e sua filha Josicleide Joana dos Santos estavam no local, viram a situação e decidiram tentar impedir que o carro fosse levado. Foram até o veículo e tentaram segurá-lo, mas acabaram sendo levadas pela força da água e ficaram presas embaixo do Palio, que só parou metros adiante.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi chamado mas, quando chegou ao local, às 17h53, constatou que as mulheres já estavam mortas. O caso ainda será investigado pela Polícia Civil.

Já em Sorocaba, informa a Defesa Civil do Estado, a água começou a arrastar um carro com dois ocupantes no bairro Vila Conceição. Um deles conseguiu sair e foi resgatado sem ferimentos. Já uma mulher ficou presa e morreu.

Também em Sorocaba, o Hospital GPACI (Grupo de Pesquisa e Assistência ao Câncer Infantil) teve o térreo alagado e os pacientes tiveram de ser remanejados para os andares superiores do centro médico.

Além das três mortes, o Estado registrou 179 quedas de árvores e 27 postes de energia, além das três mortes e de 28 desalojados.

Publicidade

A Defesa Civil alerta que ninguém deve tentar enfrentar correntezas. Segundo o órgão, apenas 15 centímetros de água já são suficientes para arrastar uma pessoa. Também não é recomendável caminhar por áreas alagadas, porque a água pode esconder perigos como fios energizados, bueiros abertos ou buracos.

Se a pessoa estiver na rua, for surpreendido pela chuva e o nível da água começar a subir, busque abrigo em locais elevados, como pontos de ônibus, escadarias ou edificações seguras. Em caso de emergência, acione a Defesa Civil pelo telefone 199 ou o Corpo de Bombeiros pelo telefone 193.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.