PUBLICIDADE

Tempestade em SP tem ventos de 75 km/h, alagamentos e falta de luz; 1 morre no interior

Capital paulista e entorno observaram intensa precipitação na tarde desta segunda-feira. Instabilidade deve continuar, adverte centro de monitoramento da Prefeitura. Morte foi registrada em Itupeva

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

A tempestade que atingiu cidades da região metropolitana de São Paulo nesta segunda-feira, 8, ocasionou rajadas de vento de até 75 km/h no Aeroporto de Congonhas, na zona sul da capital, deixou ruas alagadas e interrompeu o serviço de energia em diferentes bairros. Em Itupeva, a 70 quilômetros da cidade de São Paulo, um morador morreu depois que uma árvore caiu sobre um veículo enquanto a vítima desembarcava.

PUBLICIDADE

No Parque do Ibirapuera, parte de uma estrutura da marquise desabou e deixou quatro pessoas feridas. De acordo com balanço da Defesa Civil, choveu 97 milímetros em Mogi das Cruzes, a cidade da região com o maior acumulado. Na capital, o volume ficou em 62 mm; a marca foi de 50 mm em Francisco Morato e Jundiaí.

Foram registrados quase 200 chamados de queda de árvore na capital, destacou o órgão estadual. Em dois casos, a ocorrência impossibilitou a saída do motorista do veículo e exigiu intervenção dos bombeiros. Esses chamados aconteceram na Alameda Joaquim Eugenio de Lima, nos Jardins, e na Alameda do Aicás, em Indianópolis.

Às 15h25, o Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas da Prefeitura (CGE) colocou toda a cidade em estado de emergência para alagamentos. A previsão do órgão é que esta semana seja “atípica”, com calor forte combinado com a umidade.

Região central foi afetada por alagamentos Foto: Tiago Queiroz/Estadão

Conforme balanço divulgado pelo CGE por volta de 15h30, imagens do radar meteorológico indicavam fortes chuvas principalmente na zona leste. Nas zonas sul e sudeste, a chuva era moderada, enquanto no centro oscilava entre leve e moderada, segundo o órgão.

“Essas instabilidades têm lento deslocamento e potencial para alagamentos e rajadas de vento. As próximas horas seguem com tempo instável, com chuvas atuando com até forte intensidade na cidade”, afirmou o centro, em nota publicada no site oficial no período da tarde.

A intensidade da tempestade afetou o fornecimento de luz em diferentes bairros da capital. A Enel, concessionária responsável, declarou que atuava para o restabelecimento do serviço.

Publicidade

Queda de árvores

O Corpo de Bombeiros informou que houve ao menos 187 chamados por conta de quedas de árvores na capital paulista, grande parte deles na zona sul. Entre os bairros listados pela corporação, estão Moema, Itaim Bibi, Bela Vista, Vila Mariana, Jardim Paulista, Vila Maria e Pinheiros.

Houve ainda 11 chamados para enchentes na região metropolitana, em endereços de locais como Mogi das Cruzes, Jardim Paulista e Bela Vista. Na cidade de São Paulo, a Defesa Civil informou que foram registrados pontos de alagamento nas seguintes regiões:

  • Praça 14 Bis (intransitável), centro;
  • Itaquera (intransitável), zona leste;
  • São Miguel Paulista (intransitável), zona leste;
  • Santo Amaro, zona sul;
  • Vila Mariana, zona sul.

Nas redes sociais, moradores da capital paulista relatam precipitações intensas em diferentes regiões, com ocorrência de granizo e até de pontos de alagamento. “Parece que o mundo vai acabar”, escreveu um usuário do X, antigo Twitter, sobre o temporal que atinge a cidade.

Queda de árvore provoca morte no interior do Estado

PUBLICIDADE

Um homem de 58 anos morreu nesta segunda-feira ao ter o carro atingido por uma árvore, que caiu por conta das fortes chuvas e rajadas de vento que também atingiram o interior do Estado. O caso aconteceu na cidade de Itupeva e, segundo a Defesa Civil, a vítima estava saindo do veículo quando o acidente aconteceu. O homem chegou a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos e foi a óbito.

CGE dá recomendações de como amenizar efeitos do alagamento

Por conta das fortes chuvas, o Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas listou algumas medidas que podem amenizar os efeitos dos alagamentos. Confira abaixo:

  • Evite transitar em ruas alagadas;
  • Se a chuva causou inundações, não se aventure a enfrentar correntezas;
  • Fique em lugar seguro. Se precisar, peça ajuda;
  • Mantenha-se longe da rede elétrica e não pare debaixo de árvores. Abrigue-se em casas e prédios;
  • Planeje suas viagens, para que haja menor possibilidade de enfrentar engarrafamentos causados por ruas bloqueadas;
  • Em caso de dúvida sobre vias bloqueadas, ligue para a central de atendimento da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) através do número 156 ou entre no site da CET para saber como está o trânsito nas principais vias.

Publicidade

De acordo com o CGE, na terça-feira, 9, as condições do tempo não devem mudar. A madrugada deve ter termômetros na faixa dos 21°C e predomínio de sol no decorrer do dia. “A máxima atinge os 33°C nas horas de maior aquecimento, com percentuais mínimos de umidade do ar em torno dos 31%.”

No período da tarde, a previsão é que o calor e a infiltração da brisa marítima gerem núcleos de chuva rápida e isolada não só na capital como em outras cidades da Grande São Paulo. A probabilidade de chuva no período da noite é considerada baixa.

Esse padrão atmosférico se mantém no decorrer da quarta-feira, 10, com predomínio de sol entre poucas nuvens desde o amanhecer e pancadas de chuva isolada no período da tarde. A temperatura mínima deve ser de 21°C e a máxima mais uma vez pode chegar aos 34°C. As taxas de umidade do ar devem oscilar entre 33% e 90%.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.