PUBLICIDADE

Pais de crianças pequenas se exercitam menos. Será mesmo?

Muitos pais não têm tempo de ir à academia e fazer um treino formal, mas conviver com crianças garante um bom leque de exercícios; confira alguns

Por Caitlin Gibson
Atualização:

THE WASHINGTON POST – Com que frequência você faz exercícios físicos? Se você tem crianças muito pequenas – e pouco tempo para elaborar um único pensamento ininterrupto, muito menos para ir à academia ou à aula de ioga – sua resposta talvez seja “raramente” (ou então só um suspiro de resignação). E talvez você não se surpreenda com o estudo que recentemente descobriu que adultos com dois ou mais filhos com menos de 5 anos relataram 80 minutos a menos de atividade física semanal em comparação com os adultos sem filhos ou com apenas uma criança.

Mas temos uma boa notícia: você provavelmente está fazendo atividades mais vigorosas do que pensa, graças à infinidade de exercícios obrigatórios que vêm junto com a realidade diária de pais e mães! Aqui vão alguns exemplos que podem parecer familiares:

Agachamento afetuoso para mamães e papais

Sua filha está emburrada porque quer a massinha azul, não, a massinha vermelha, não, a massinha azul, não, a massinha vermelha, não, na verdade, quer banana – e, toda vez que a criança expressa uma nova vontade, você se abaixa até ela no chão, para afetuosamente validar seus sentimentos e explicar que você nem tem massinha nenhuma, mas que ela pode comer uma banana, claro, só que agora ela quer picolé.

Luta do protetor solar

O velho ritual de aplicar uma camada suficiente de protetor solar em cada centímetro de pele exposta do seu filho – que se recusa absolutamente a ficar parado por um único segundo – testa sua resistência e seus reflexos. E também sua resiliência mental.

Contorção corporal para resgate no parquinho

Sua filha alcançou uma plataforma alta no parquinho, está toda orgulhosa, mas agora não consegue descer. Isso significa que você vai ter de se espremer por um tubo muito estreito para chegar até ela, ou escalar uma parede de escalada construída para pernas bem menores que as suas e, em seguida, puxar a criança de volta para a altitude certa, tudo isso calçando chinelos de dedo e operando completamente fora de seu próprio centro de gravidade.

Subir, descer, agachar... Ir ao parquinho com uma criança exige bastante do corpo  Foto: Prostock-studio/Adobe Stock

Corrida de estacionamento

Seu filho se liberta abruptamente das suas mãos e sai correndo em direção aos carros em movimento, inundando seu cérebro com a adrenalina do pânico – e, de repente, você é o Usain Bolt.

Mata-leão da escova de dentes

Luta diária em que os ombros do bebê ou da criança pequena devem ser imobilizados em uma superfície plana (o chão, uma cama), quando começa a contagem até três, porque três segundos é definitivamente tudo o que você vai conseguir para escovar seus dentes, mesmo que o dentista tenha dito que o ideal era dois minutos – ha ha ha, dois minutos, claro, tranquilo.

Publicidade

Varredura de pernas para tirar brinquedo de baixo do sofá

Um carrinho Hot Wheels rolou por baixo do sofá até a parede de trás, e seu filho precisa desse brinquedo com urgência, então você se deita no chão e passa a perna por baixo da mobília até empurrar o carrinho de volta, com os dedos do pé. Alterne as pernas para obter o máximo benefício: perna direita para Hot Wheel, perna esquerda para cavalinho do Lego, perna direita para o salgadinho que caiu, e assim por diante.

Flexão para frente na hora do banho

Em vez de arquear a coluna para trás, como na flexão de ioga, este exercício envolve se curvar miseravelmente para a frente, na lateral da banheira, enquanto você tenta lavar o cabelo da sua filha, que se contorce e grita porque tem água nos olhos (não, não tem água nos olhos, mas os fatos não têm a menor importância neste momento).

A hora do banho é outro momento em que os pais treinam habilidades corporais Foto: Yakobchuk Olena/Adobe Stock

Calistenia para assento de carro

Você não teve tempo de negociar democraticamente com o pequeno tirano que se recusa a aceitar o cinto de segurança da cadeirinha, então está na hora de suar o corpo inteiro brigando contra suas incansáveis tentativas de se mexer, arquear as costas e empurrar as suas mãos para impedir você de prender o cinto.

Afundo para evitar desastres

Sua filha está prestes a deixar o prato cair no chão, ou derramar vinho no tapete ou se içar sobre a grade de proteção – até que você salve o dia com um passo heroico e arrebatador.

PUBLICIDADE

Treino de agilidade para troca de roupa

O leite do bebê voltou pela quinta vez esta manhã, então você pega um sexto macacão, enfia um braço na manga, depois enfia o outro braço na manga, depois enfia o primeiro braço de volta na manga porque o bebê se mexeu enquanto você estava lidando com o segundo braço, depois tenta fechar todos os botões de pressão até as pernas, aí percebe que pulou um botão e toda a parte de baixo do macacão agora está torta, aí você fecha mais uma vez os botões de pressão, mas aí percebe que o leite voltou de novo, então é preciso encontrar um sétimo macacão e/ou botar mais um cesto de roupa para lavar.

Subida de escada com criança agitada

PUBLICIDADE

Está na hora de dormir, mas seu filho pequeno se recusa a subir os degraus do quarto, por isso precisa ser transportado fisicamente – contra sua vontade. Este exercício trabalha os braços, as costas, o core e as pernas – e, se seu filho conseguir escapar e fugir escada abaixo, você pode até fazer umas repetições.

Relaxamento de sofá

A recuperação pós-treino é essencial. Tradicionalmente, isso envolve alongamento, hidratação e uma barra energética. Já neste caso, envolve imobilidade total, bebida para adultos e sorvete. Não se esqueça de ir para a cama cedo: seu pequeno personal estará esperando por você às 6 da manhã. Ou, mais provavelmente, às 5.

Monica Hesse contribuiu com o texto. / TRADUÇÃO DE RENATO PRELORENTZOU

Publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.