PUBLICIDADE

Martinelli: a história do primeiro arranha-céu de São Paulo em fotos e páginas do Acervo Estadão

Marco da verticalização da cidade, edifício começou a ser construído em 1924

Foto do author Liz Batista
Por Liz Batista e Rose Saconi
Atualização:
Vista aérea do edifício Martinelli, na região central de São Paulo, 1979. Foto: Acervo/Estadão

Um marco arquitetônico centenário de São Paulo, o edifício Martinelli foi o primeiro arranha-céu da cidade. Idealizado pelo comendador italiano Giuseppe Martinelli e projetado pelo arquiteto húngaro William Fillinger, o edifício localizado entre as ruas São Bento, São João e Líbero Badaró se tornou um retratou do progresso econômico paulista na década de 1920, e um grande exemplo das transformações urbanas da capital no período.

Edifício Martinelli em construção nos anos 1920 Foto: Acervo Estadão

PUBLICIDADE

As obras do prédio começaram em 1924, foram paralisadas no ano seguinte devido a um embargo judicial. Após o processo, as obras foram retomadas e o imponente edifício foi inaugurado inacabado, em 1929, com 12 andares.

No ano anterior, o comendador Martinelli assumiu a condução das obras, acrescentando mais andares ao projeto, que foi concluído com 30 andares e 105 metros de altura e uma área total de 50mil m², em 1934.

Imagem do edifício Martinelli no Suplemento Rotogravura do Estadão, década de 1930. Foto: Acervo/Estadão

Estadão - 3 de janeiro de 1929

>> Estadão- 03/01/1929 Foto: Acervo/Estadão

Mais de 600 operários e artesãos trabalharam na construção erguida com cimento importado da Suécia e da Noruega pela empresa de Martinelli. Escadas de mármore Carrara, louça inglesa, estruturas internas de madeiras nobres e elevadores suíços eram alguns dos elementos que tornavam o Martinelli não apenas grandioso, mas luxuoso.

Os saraus e chás-dançantes em seus salões reuniam a alta sociedade, seus apartamentos eram residência da aristocracia paulistana, e nas suas salas comerciais funcionaram sedes de partidos,clubes, sindicatos, escritórios de advocacia, consultórios médicos, o famoso Cine Rosário e o Hotel São Bento.

Estadão - 22 de agosto de 1929

Publicidade

>> Estadão - 22/8/1929 Foto: Acervo/Estadão
Vista do Prédio Martinelli, São Paulo, SP, 13/5/1975. Foto: Messias A. Silva/Estadão
Prédio Martinelli, na região central de São Paulo, SP, 28/07/1975. Foto: Oswaldo Jurno/Estadão

Leilão

Durante a Segunda Guerra Mundial, em 1943 o edifício foi tomado pelo Governo Federal e depois leiloado pela União. A década seguinte marcou o começo da sua degradação. No meio da década de 1970 foi interditado, desapropriado e reformado pela Empresa Municipal de Urbanização. Em 1992, foi tombado pelo Condephaat.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.