Abilio vende ações do Pão de Açúcar em dia de assembleia da BRF

PUBLICIDADE

Por CESAR BIANCONI E GUILLERMO PARRA-BERNAL
Atualização:

O empresário Abilio Diniz promoveu nesta terça-feira um novo leilão de venda de ações preferenciais que possui do Pão de Açúcar, no mesmo dia em que os acionistas da BRF poderão apontá-lo como chairman da companhia de alimentos. O leilão previa inicialmente 7,964 milhões de ações de Abilio, mas outros acionistas entraram na operação e elevaram o total para 8,836 milhões de preferenciais, segundo duas fontes. A ação no leilão saiu a 107,15 reais, disseram as fontes. Assim, o giro financeiro chegou a quase 947 milhões de reais --sendo 853,3 milhões de reais cabendo à Abilio. Foi o terceiro leilão de venda de papéis preferenciais do Pão de Açúcar por Abilio, após transações em dezembro de 2012 e janeiro deste ano com as quais o empresário levantou cerca de 150 milhões e 1,5 bilhão de reais, respectivamente. Com o leilão desta terça-feira, realizado por meio do fundo Santa Rita como os anteriores, Abilio reduz sua participação no total de ações preferenciais do Pão de Açúcar de cerca de 20 por cento, antes de dezembro, para pouco mais de 5 por cento. Segundo uma das fontes, a operação dá prosseguimento ao processo de diversificação dos investimentos de Abilio, que no meio do ano passado transferiu o controle da varejista brasileira ao francês Casino, como estabelecido em acordo de acionistas firmado anos antes. Além dos papéis preferenciais, Abilio tem ações ordinárias da companhia dentro da Wilkes, holding de controle da varejista. Considerando o capital social total do Pão de Açúcar, o empresário ainda mantém perto de 11 por cento de participação. Abilio é presidente do Conselho de Administração do Pão de Açúcar e tem garantido por contrato o direito de permanecer no posto, independentemente de sua fatia na companhia. As ações preferenciais do Pão de Açúcar caíam 2,31 por cento e eram negociadas a 105,50 reais antes do começo do leilão. Os papéis, que estão num patamar próximo da máxima histórica, se recuperaram após a operação e subiam 0,19 por cento, a 108,21 reais, às 12h33. BRF A redução da fatia de Abilio no capital do Pão de Açúcar ocorre horas antes de uma assembleia de acionistas da BRF deliberar sobre a indicação do empresário para o posto de presidente do Conselho da companhia. O Casino vê conflito de interesse na manutenção de Abilio no cargo de chairman do Pão de Açúcar se ele assumir a mesma posição na BRF --uma das principais fornecedoras do grupo varejista. Abilio não tem uma relação harmoniosa com o Casino desde que, em meados de 2011, o empresário tentou unir as operações do Carrefour no Brasil ao Pão de Açúcar. O grupo francês acusou o então controlador da varejista brasileira de tentar minar o acordo de acionistas na Wilkes. (Reportagem adicional de Vivian Pereira e Asher Levine)

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.