PUBLICIDADE

Após leilão, PSDB diz que PT mudou sobre privatizações

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

O PSDB criticou o PT nesta terça-feira pelo que considera uma mudança de postura do partido em relação a privatização de setores e empresas controladas pelo Estado, após a realização na véspera de um leilão de concessão de aeroportos à iniciativa privada. O governo leiloou três dos maiores aeroportos do país, concedendo os terminais de Guarulhos, Viracopos e Brasília à iniciativa privada por períodos entre 20 e 30 anos. As privatizações promovidas na década de 1990 pelo então presidente Fernando Henrique Cardoso foram alvo de crítica constante do PT, principalmente durante campanhas eleitorais. "O PT mais do que desculpas ao PSDB, deve desculpas à sociedade brasileira", disse o novo líder do PSDB na Câmara, Bruno Araújo (PE). "O PT apregoou durante muitos anos as privatizações como sendo um mal." Para o presidente do partido, deputado Sérgio Guerra (PE), a concessão dos aeroportos pode ser boa para o país, mas não resolve o problema da aviação civil brasileira. O governo promoveu o leilão de olho no aumento da demanda previsto por conta da Copa do Mundo de 2014 e das Olimpíadas de 2016. Questionado, Guerra afirmou que o PSDB "seguramente" promoveria a inserção do setor privado na infraestrutura aeroportuária se estivesse no governo. O líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza (PT-SP), rebateu as críticas dos tucanos e disse que não há como comparar as ações dos dois governos. Ele ressaltou que o leilão ocorrido na segunda prevê um regime de concessão e que os governos petistas têm aumentado "significativamente" a presença do Estado na economia. "Há uma diferença extremamente grande do processo de privatizações desbragadas que nós vivemos no período do neoliberalismo, quando os tucanos eram governo", apontou o líder que considerou o leilão de aeroportos um "sucesso". (Reportagem de Jeferson Ribeiro e Maria Carolina Marcello)

Tudo Sobre
Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.