PUBLICIDADE

Ato contra violência doméstica reúne mais de 400 no RJ

Por CARINA URBANIN
Atualização:

Uma manifestação com cerca de 400 pessoas foi realizada hoje, véspera do dia da mulher, no município de São Gonçalo (RJ), para pedir pelo fim da violência doméstica contra as mulheres e a instalação de um juizado especial para tratar desses casos. Os manifestantes percorreram as ruas da cidade segurando cartazes e placas com fotos de vítimas e frases de protesto. Segundo a vice-diretora do Movimento de Mulheres de São Gonçalo, Selma da Rocha, os casos de violência doméstica são analisados por um juiz criminal, responsável por julgar todos os outros crimes cometidos na cidade. "O juizado existente aqui está sobrecarregado", afirmou Selma. E completou: "Precisamos de um juizado específico para lidar com a violência doméstica, como determina a Lei Maria da Penha, que deve ser cumprida". Durante a manifestação, foi feito um abaixo-assinado solicitando uma audiência com o presidente do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ), desembargador José Carlos Murta Ribeiro, para tratar de forma urgente da instalação do Juizado de Violência Doméstica e Familiar. Participaram também da manifestação integrantes da Campanha Laço Branco, que tem o objetivo de mobilizar os homens pelo fim da violência contra a mulher, e membros da prefeitura de São Gonçalo. Segundo a subsecretária de Políticas para as Mulheres, Marisa Chaves, a criação do juizado especial para as mulheres é uma questão de primeira necessidade. "Algumas mulheres têm que esperar sete, oito meses no juizado criminal e acabam desistindo da ação", declarou Marisa. As informações foram divulgadas pela Agência Brasil.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.