PUBLICIDADE

Bush aprova US$ 100 milhões para 'armas espaciais'

Novo sistema militar poderia atingir alvo em qualquer lugar do mundo em duas horas.

Por BBC Brasil
Atualização:

O presidente americano, George W Bush, aprovou nesta terça-feira um orçamento de defesa que prevê US$ 100 milhões (R$ 178 milhões) para a criação de armas espaciais, capazes de atingir alvos em qualquer lugar do mundo em apenas duas horas. O sistema consistiria num veículo que seria enviado ao espaço em velocidade hipersônica - seis vezes maior que a velocidade do som - e, de lá, lançaria ogivas de alta precisão na direção do alvo para, em seguida, voltar à Terra, podendo ser reutilizado. Com o novo programa de ataques, os Estados Unidos teriam capacidade de interceptar possíveis ataques de mísseis inimigos em um curto espaço de tempo, sem depender de bases americanas em outros países. O projeto, batizado de Falcon, é o mais ambicioso do orçamento militar de US$ 459 bilhões (R$ 818 bilhões) para o ano fiscal de 2008, que se concentra principalmente no desenvolvimento de armas e não em gastos relacionados às operações no Afeganistão e no Iraque. O texto também destina milhões de dólares para programas de proteção de satélites militares e comerciais americanos, entre eles um veículo capaz de relançar satélites atacados e também funcionar como substituto para os que tiverem sido danificados por inimigos. No texto do orçamento, aprovado pelo Congresso na semana passada, representantes do partidos Democrata e Republicano dizem que "aumentar essas capacidades é crucial, particularmente após a demonstração das armas anti-satélites chinesas em janeiro passado". No teste, a China usou um míssil de médio alcance, lançado do solo, para destruir um satélite meteorológico obsoleto. Na época, diversos países expressaram preocupação, temendo que o sistema pudesse provocar uma nova corrida armamentista espacial. Os Estados Unidos já estão envolvidos em uma disputa com a Rússia, devido aos planos americanos de construir instalações de defesa antimísseis no Leste Europeu. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.