PUBLICIDADE

Casal pega oito anos de prisão nos EUA após morte de filho por câncer

Monica Hussing e William Robinson foram condenados por homicídio involuntário por não dar assistência médica a seu filho, morto por um tipo altamente curável de câncer linfático.

Por BBC Brasil
Atualização:

Os pais de uma criança de oito anos que morreu vítima de um tipo altamente curável de câncer foram condenados nessa quinta-feira a oito anos de prisão por um tribunal do Estado americano de Ohio. Monica Hussing, 37 anos, e William Robinson, 40 anos, moradores de Cleveland, já haviam se declarado, em janeiro, culpados da acusação de homicídio involuntário pela morte de seu filho, William Robinson, Jr., conhecido como Willie, ocorrida em março de 2008. A criança foi vítima de pneumonia causada por linfoma de Hodgkin, um tipo altamente curável de câncer que atinge o sistema linfático. A promotoria alega que o menino morreu porque seus pais não providenciaram os cuidados médicos necessários. Segundo a polícia e o Instituto Médico Legal do condado de Cuyahoga, Willie teria sobrevivido se tivesse recebido tratamento. Tratamento contra pulgas No júri, os pais alegaram que não tinham dinheiro para pagar pelo tratamento. Eles dizem não ter dado assistência médica a nenhum de seus seis filhos nos três anos anteriores à morte de Willie. Apesar disso, a promotoria afirma que o casal teve dinheiro para pagar pelo tratamento contra pulgas de seu cão pitbull, na mesma época em que seu filho estava doente. Hussing alega que seus pais pagaram pelo veterinário. Assistentes sociais começaram a visitar mensalmente a família de Willie a partir de julho de 2007, quando ela morava na cidade de Warren. Profissionais que trabalharam no caso dizem ter tentando convencer os pais do menino a levá-lo a um médico, mas as tentativas, segundo eles, foram em vão. No entanto, segundo o advogado do casal, um assistente social que visitou a família em janeiro de 2008 disse que todas as crianças pareciam "felizes e saudáveis". Drogas e álcool Hussing e Robinson foram indiciados em 2009, e estavam em liberdade sob fiança desde então. Eles não têm a custódia de nenhum de seus filhos. O juiz do caso afirma que, enquanto o pai de Willie demonstrou algum remorso durante o julgamento, a mãe não derramou uma lágrima sequer. "O tribunal acha que os acusados demonstraram um padrão de abuso de drogas ou álcool que é relacionado à acusação", afirmou o juiz Michael Astrab, segundo a rede de TV Fox 8 Cleveland. Os pais de Willie foram levados para a prisão imediatamente depois do fim do julgamento. Eles planejam recorrer da sentença. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.