Chávez diz que se reuniu com líder rebelde colombiano

Presidente afirma que recebeu enviado de grupo Exército de Libertação Nacional, 2.º maior grupo guerrilheiro

PUBLICIDADE

Por BBC Brasil
1 min de leitura

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, disse nesta sexta-feira que se reuniu com um representante do Exército de Libertação Nacional (ELN), o segundo maior grupo guerrilheiro da Colômbia. Em uma entrevista à TV estatal, Chávez disse que recebeu o segundo mais alto comandante do ELN, Antonio García, juntamente com com o alto comissário para Paz da Presidência da Colômbia, Luis Carlos Restrepo, no palácio presidencial de Miraflores, em Caracas, na noite de quinta-feira. "Antes havia conversado com Gabino (Nicolás Rodríguez), o chefe do ELN", disse Chávez, sem deixar claro se o líder rebelde esteve em Caracas. Chávez não revelou detalhes da conversa. De acordo com o correspondente da BBC em Caracas, Carlos Chirinos, a finalidade do encontro era destravar as negociações que o ELN e o governo colombiano iniciaram em dezembro de 2005. Segundo Chirinos, essas discussões "exploratórias" têm o objetivo de levar a um acordo de paz, mas até agora os dois lados não chegaram a uma agenda comum. Na semana passada, Chávez se reuniu com um representante do principal grupo rebelde colombiano, as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). Desde agosto, Chávez vem atuando como mediador entre o governo da Colômbia e as Farc na busca de um acordo humanitário que permita que 45 reféns sejam soltos em troca da libertação de cerca de 500 integrantes do grupo guerrilheiro que estão presos. Entre os reféns está a ex-candidata presidencial e senadora Ingrid Betancourt, que tem dupla cidadania colombiana e francesa. A libertação dos reféns das Farc será um dos assuntos tratados na reunião que Chávez terá com o presidente da França, Nicolas Sarkozy, em Paris, no dia 20. "Vamos com uma boa expectativa", disse o presidente venezuelano. Segundo o correspondente da BBC, apesar do silêncio oficial em torno da dinâmica dos contatos com os rebeldes, especula-se em Caracas que emissários das Farc dariam a Chávez "provas de vida" dos reféns, para que fossem levadas a Sarkozy. A entrevista de Chávez foi concedida pouco antes de o presidente venezuelano embarcar a uma viagem. Além da França, Chávez vai visitar a Arábia Saudita, o Irã e Portugual. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Notícias em alta | Brasil






Veja mais em brasil