PUBLICIDADE

Cidade do Japão cria 'polícia de boas maneiras'

Sessentões pedirão a usuários de trens e metrôs que cedam assentos a grávidas e idosos.

Por Da BBC Brasil
Atualização:

As autoridades da cidade de Yokohama, no Japão, resolveram transformar a falta de boas maneiras entre usuários de transporte público em caso de polícia. Recém-nomeados, os guardiões da etiqueta vão pedir a usuários que tomem atitudes como reduzir o volume de seus aparelhos de som para que a música que vaza dos fones de ouvido não perturbe os vizinhos, e ceder seus assentos para idosos. A iniciativa é tomada em meio à crescente preocupação com a perda de proeminência da etiqueta na sociedade japonesa. Uma pesquisa recente revelou que quase nove em cada dez entrevistados sentiram que o comportamento do público vem piorando. Os trens e metrôs foram identificados como os principais espaços de violação das normas de etiqueta. Entre as atitudes vistas como indelicadas estão não oferecer o assento a grávidas e idosos, conversar alto em telefones celulares, colocar maquiagem em público e ouvir música alto demais, a ponto de o som ser ouvido apesar do uso de fones. 'Sessentões' A equipe é composta, na maioria, por pessoas de mais 60 anos que conhecem bem os padrões de conduta associados ao Japão tradicional. Muitos dos sessentões elegantes estarão, porém, acompanhados de guarda-costas mais jovens, que poderão agir nos casos em que a orientação de etiqueta - dada de forma bastante diplomática - não for bem recebida. Os integrantes do esquadrão das boas maneiras poderão ser identificados por uniformes verdes e não terão poder legal para insistir que a sua orientação seja aceita por passageiros mais resistentes. Mas os defensores do novo esquema esperam que os guardiões das boas maneiras consigam convencer os violadores a rever o seu comportamento com o seu charme ou fazendo com que eles passem uma boa vergonha. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.