PUBLICIDADE

Com 'jeitinho', comerciantes driblam lei seca em SP

Por AE
Atualização:

Apesar de o governo ter anunciado maior rigor na chamada lei seca, que proíbe a venda de bebidas alcoólicas nas margens de rodovias, alguns comerciantes apelam para o ?jeitinho brasileiro? para manter o comércio. Na Rodovia Castelo Branco, uma das mais movimentadas vias estaduais de São Paulo, o motorista não encontra dificuldade para se sentar, relaxar e tomar cerveja, vinho e até cachaça. No Estado, a venda de bebidas em estabelecimentos localizados em terrenos contíguos à faixa de domínio e com acesso direto à rodovia está proibida por uma lei estadual aprovada em 1997. Na época, a medida fez parte de um esforço do governo para reduzir o número de acidentes. O restaurante Rancho 53, no km 53 da Castelo, em Araçariguama, utilizou o jeitinho para escapar da lei. Embora construído junto à faixa de domínio e a poucos metros da rodovia, o estabelecimento adotou como endereço uma via municipal. Para efeitos legais, o Rancho fica na Rua Nossa Senhora da Penha, número 1, no bairro da Ronda. De fato, está em terreno contíguo à rodovia, tanto que usa o acesso do Posto 53, da rede Graal, que também tem restaurante, mas não vende bebidas alcoólicas. Ontem, no Rancho, a clientela tomava vinho e cerveja, além do chope tirado na hora. O restaurante é ponto de parada para quem viaja pela rodovia e para policiais militares e delegados de polícia. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.