PUBLICIDADE

Congresso de Honduras aprova impeachment após impasse com Zelaya

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

O Congresso de Honduras aprovou na terça-feira uma reforma constitucional que permite que altas autoridades sejam julgadas e destituídas do cargo, incluindo o presidente, afirmaram parlamentares. O mecanismo do impeachment destina-se a evitar crises como a vivida no país em 2009, quando o ex-presidente Manuel Zelaya foi deposto por um golpe militar. "O impeachment evita que entremos em um conflito terrível como o de 2009, cujas consequências foram terríveis não apenas economicamente, mas socialmente", disse o presidente do Congresso Nacional, Juan Hernández. Em 2009, o Poder Legislativo destituiu Zelaya depois que militares o prenderam e o expatriaram à Costa Rica, quando ele pretendia realizar uma consulta para convocar uma assembleia nacional constituinte, o que críticos apontaram como uma manobra para se manter no poder. O Congresso, dominado na época pelos partidos conservadores Liberal e Nacional, apoiou o golpe de Estado militar contra Zelaya, aprovando um voto de censura, mas sem ter um instrumento que autorizava destituí-lo. A legislação que permite o impeachment deve ser aprovada pela nova legislatura no Congresso Nacional, que assume na sexta-feira. (Reportagem de Gustavo Palencia)

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.