PUBLICIDADE

Foto do(a) blog

Baixe e ouça as principais notícias e análises

A volta de Marta ao PT e o (frágil) plano de repetir chapa Lula-Alckmin

Por Gustavo Lopes Alves
Atualização:

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva selou acordo com a ex-prefeita de São Paulo Marta Suplicy (sem partido) para retorno dela ao PT para ser vice na chapa encabeçada por Guilherme Boulos (PSOL-SP) nas eleições municipais de 2024.

PUBLICIDADE

Marta pode ajudar Boulos com votos na periferia, onde é lembrada por programas de sua gestão como os Centros Educacionais Unificados (CEU) e a implantação dos corredores de ônibus e do Bilhete Único.

Marta também sofre resistência de uma ala minoritária do PT, que ainda se ressente da forma como ela deixou o partido em 2015. À época, ela criticou a sigla por protagonizar "um dos maiores escândalos de corrupção que a nação brasileira já experimentou". No ano seguinte, votou favoravelmente ao impeachment de Dilma Rousseff (PT).

Além de Marta, o petista também já costurou alianças com adversários históricos, como Geraldo Alckmin (PSB), com quem disputou as eleições presidenciais de 2006. Hoje ele é seu vice-presidente. Outros destaques são Paulo Maluf, Fernando Collor e Leonel Brizola.

Afinal, Marta ainda tem capital político para contribuir no projeto da esquerda de retomar o comando da cidade de São Paulo? Qual o plano de Lula para o maior município do país? No 'Estadão Notícias' de hoje, vamos conversar sobre o assunto com Marco Antônio Teixeira, coordenador do Mestrado em Gestão e Políticas Públicas da FGV.

Publicidade

O 'Estadão Notícias' está disponível no Spotify, Deezer, Apple Podcasts, Google podcasts, ou no agregador de podcasts de sua preferência.

Apresentação: Gustavo Lopes

Produção/Edição: Gustavo Lopes, Jefferson Perleberg e Gabriela Forte

Sonorização/Montagem: Moacir Biasi

 Foto: Ricardo Stuckert/PR
Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.