PUBLICIDADE

Universitária é morta após ser estuprada e ter pescoço quebrado em calourada no Piauí, diz polícia

Outro estudante da instituição federal, de 28 anos, é suspeito do crime e foi preso em flagrante no sábado, 28; no entanto, após audiência de custódia, o auto de flagrante foi convertido em prisão preventiva

Foto do author Renata Okumura
Por Renata Okumura
Atualização:

Uma estudante de Jornalismo da Universidade Federal do Piauí (UFPI) foi morta no sábado, 28, após ser vítima de estupro e ter o pescoço quebrado, segundo a Polícia Civil do Piauí. Conforme as investigações, Janaína Bezerra da Silva, de 21 anos, foi vítima de uma morte violenta (lesão raquimedular). Outro aluno da instituição, suspeito do crime, foi preso em flagrante, mas teve o auto convertido em prisão preventiva. A tragédia aconteceu durante uma calourada em um prédio da universidade, em Teresina, que reunia diversos jovens.

“Uma pessoa do sexo masculino, de iniciais T.M.S.B, de 28 anos de idade, que se encontrava com a vítima, também estudante daquela universidade, foi conduzida pela Polícia Militar, oportunidade em que foi lavrado o auto de prisão em flagrante por crimes de estupro e feminicídio”, afirmou a polícia. No entanto, ainda de acordo com a polícia, o auto de flagrante foi convertido em prisão preventiva nesta segunda-feira, 30. “O autor alegou na audiência de custódia ter acontecido um acidente por queda”, disse.

Estudante é preso em flagrante suspeito de estupro e feminicídio  Foto: Reprodução/Redes sociais

Conforme o Instituto de Medicina-Legal (IML) do Piauí, a causa da morte aponta para trauma raquimedular por ação contundente. “Houve uma contusão na coluna vertebral a nível cervical, o que causou lesão da medula espinhal e a morte”, disse em nota.

Polícia Civil do Piauí investiga caso de estupro e feminicídio na Universidade Federal do Piauí (UFPI). Foto: UFPI

Ainda segundo o IML, a ação contundente pode ter sido causada por “pancada, torcendo a coluna vertebral ou traumatizando, ação das mãos no pescoço com intuito de matar ou fazer asfixia, queda, luta, dentre outras possibilidades que estão sendo analisadas junto às investigações do caso.”

Uma estudante de jornalismo da Universidade Federal do Piauí (UFPI) foi morta no sábado, 28, após ser vítima de estupro e feminicídio, de acordo com a Polícia Civil do Piauí. Foto: Divulgação/Polícia Civil do Piauí

PUBLICIDADE

Em depoimento à Policia Civil, o acusado afirmou que já conhecia a vítima e teriam se relacionado em outras ocasiões. “O acusado disse que, por volta das 2 horas, convidou a jovem para seguirem para um corredor e em seguida se dirigiram a uma das salas de aula onde praticaram sexo consensual e que após a prática sexual a vítima teria ficado desacordada por duas ocasiões, sendo a última por volta das 4h”, afirmou a polícia.

De acordo com a investigação, o suspeito alega que permaneceu ao lado da vítima durante toda a madrugada e solicitou socorro à segurança da universidade por volta das 9 horas. Janaína foi conduzida ao Hospital da Primavera, onde foi constatado o óbito.

Fachada da Universidade Federal do Piauí (UFPI), onde estudante morreu, após ser vítima de estupro e feminicídio, de acordo com a Polícia Civil do Piauí. Foto: UFPI

As diligências estão sendo realizadas pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) com o apoio da Delegacia Geral da Polícia Civil. O inquérito policial será concluído em até dez dias.

Publicidade

Estudante Janaína Bezerra da Silva, de 21 anos, foi morta no sábado, 28, após ser estuprada e ter pescoço quebrado em calourada no Piauí. Foto: Reprodução/Redes sociais

Universidade afirma que festa foi realizada sem autorização

A UFPI afirma que a coordenadoria de segurança e vigilância da instituição encontrou a jovem desacordada nas imediações do espaço da sede do Diretório Central dos Estudantes (DCE), no campus de Teresina. A vítima foi urgentemente levada, por equipe de seguranças da universidade, para o Hospital da Primavera.

“Todas as providências para colaborar com as investigações das autoridades policiais, como isolamento da referida área no campus e boletim de ocorrência, foram adotadas imediatamente pela UFPI. Além disso, a universidade está efetuando o levantamento de todas as imagens captadas por câmeras de segurança”, disse a instituição de ensino.

Conforme a UFPI, a festa estudantil ocorreu sem autorização de qualquer autoridade da universidade, na área do próprio DCE, sediado no prédio do Centro de Ciências da Natureza (CCN).

PUBLICIDADE

“A UFPI desaprova quaisquer eventos que adotem condutas que coloquem em risco a comunidade acadêmica e preza pela segurança e bem estar de estudantes, professores e servidores técnico-administrativos, com a adoção de diversas estratégias constantemente divulgadas à comunidade. A administração superior continuará acompanhando as informações oficiais sobre o fato e se une à sociedade no desejo por justiça”, afirmou.

Ainda na manhã de sábado, o reitor da UFPI determinou a imediata instauração de processo administrativo para apuração dos fatos, bem como a responsabilização dos envolvidos e disponibilizará todo o apoio para auxiliar no trabalho das autoridades policiais, de acordo com a instituição.

Nas redes sociais, a UFPI também afirma que a administração superior da universidade tem prestado apoio contínuo à família da vítima, desde as primeiras horas após ocorrência do fato, junto às autoridades de segurança do Estado e com providências para viabilizar velório e sepultamento.

“O momento é de solidariedade entre todos que compõem a comunidade acadêmica, profundamente consternados com o trágico falecimento de Janaína”, publicou a instituição.

Publicidade

Nesta segunda-feira, as atividades acadêmicas e administrativas no campus de Teresina, estão suspensas em função do luto oficial decretado pela instituição em memória da aluna Janaina da Silva Bezerra.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.