Foragido mais procurado do RS é preso por policiais com camisas de time em restaurante do Rio

Fernando Luiz Doval Junior era procurado por envolvimento em esquemas de tráfico internacional de drogas, lavagem de dinheiro e crimes patrimoniais

PUBLICIDADE

Foto do author Rayanderson Guerra
Por Rayanderson Guerra
Atualização:

RIO - A Polícia Civil do Rio Grande do Sul prendeu o foragido mais procurado do Estado em um restaurante na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio nesta segunda-feira, 16. A prisão foi resultado da Operação Blindspot, da 3ª Delegacia de Investigação do Narcotráfico (DIN), do Departamento Estadual de Investigações do Narcotráfico (Denarc) gaúcho. Fernando Luiz Doval Junior foi transferido para uma unidade de detenção em Porto Alegre.

PUBLICIDADE

No momento da prisão, os agentes da polícia gaúcha estavam à paisana, com camisas dos times de futebol Botafogo e do Flamengo.

O preso estava escondido em Orlando, na Flórida, desde o início do ano passado. Tinha voltado ao País havia sete dias, quando foi identificado por agências de inteligência. A equipe de investigação do Denarc conseguiu descobrir o condomínio de luxo em que ele estava escondido.

Segundo o delegado Gabriel Borges, responsável pela operação, o foragido era procurado por crimes de estelionato, lavagem de dinheiro e crimes patrimoniais.

Fernando Luiz Doval Junior foi preso em restaurante do Rio. Foto: Redes sociais/Reprodução

O investigado era piloto de corridas de automóvel e de aeronaves. Ingressou no tráfico internacional de drogas, principalmente no transporte de cocaína de países produtores, como Peru e Bolívia, ao Estado do Rio Grande do Sul.

O foragido já havia sido preso em uma operação policial em 2021 por operar aeronaves que levavam cocaína ao Rio Grande do Sul. Em 2022, foi um dos alvos da operação Kraken, em que mais de 1.300 policiais cumpriram 1.368 ordens judiciais contra a maior organização criminosa do Sul do País. Nela, o investigado exerce papel de liderança, segundo a Polícia Civil.

O preso já teve o sequestro judicial de 38 imóveis e 115 veículos. Também foram sequestradas judicialmente duas aeronaves utilizadas pelo alvo no transporte de drogas. O suspeito é investigado ainda em esquema de lavagem de dinheiro com a utilização de pedras preciosas.

Publicidade

Policiais gaúchos estavam à paisana. Foto: Reprodução/Redes sociais

Não foi possível falar com a defesa de Doval Junior.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.