PUBLICIDADE

Forças sírias matam ao menos 47 civis em ataque a Homs-ativistas

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

As forças do governo sírio bombardearam a cidade de Homs e mataram pelo menos 47 civis nas últimas oito horas, disseram ativistas e fontes da oposição, nesta quarta-feira. "A eletricidade voltou brevemente e nós pudemos contatar vários bairros porque ativistas conseguiram carregar seus telefones. Nós contamos 47 mortos desde a meia-noite", afirmou o ativista Mohammad Hassan por telefone via satélite. Ainda nesta quarta-feira o grupo Observatório Sírio de Direitos Humanos afirmou que milicianos leais ao presidente Bashar al-Assad mataram pelo menos 20 civis ao invadirem as casas de três famílias na periferia dos distritos de oposição, em Homs. "A shabbiha (milicianos ligados a Assad) invadiu três casas durante a noite e massacrou uma família de cinco pessoas - pai, mãe e seus três filhos, uma família de sete, em outra casa, e de oito em uma terceira", disse à Reuters o dissidente no exílio Rami Abdelrahman, que chefia o Observatório, cuja sede fica na Inglaterra. De acordo com Abdelrahman, os nomes das famílias são Ghantawi, Tirkawi e al-Zamel. As autoridades sírias não comentaram imediatamente os relatos, que não puderam ser checados porque o governo impõe fortes restrições à imprensa estrangeira. Segundo a ONU, mais de 5.000 pessoas, a maioria civis, já morreram na repressão aos protestos na Síria. O governo sírio diz enfrentar a ação de "terroristas armados" que, com patrocínio estrangeiro, tentam desestabilizar o país. É difícil confirmar os relatos do governo e da oposição, uma vez que quase toda a imprensa estrangeira foi expulsa da Síria. (Por Khaled Yacoub Oweis)

Tudo Sobre
Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.