Funcionários da reitoria da USP aderem a greve

PUBLICIDADE

Por Carlos Lordelo
Atualização:

Iniciada há 21 dias, a greve dos servidores da Universidade de São Paulo (USP) ganhou novo fôlego ontem, com a adesão dos funcionários da reitoria. Eles também decidiram fechar o prédio da administração central, na Cidade Universitária, por tempo indeterminado.Segundo o diretor do Sindicato dos Trabalhadores da USP (Sintusp), Magno de Carvalho, o objetivo é aumentar a pressão sobre o Conselho dos Reitores das Universidades Estaduais Paulistas (Cruesp). Os grevistas querem a reabertura das negociações com os gestores das universidades. Eles alegam que o governo estadual quebrou a isonomia entre servidores e docentes ao conceder, em março, um aumento de 6% somente para os professores da USP, Unicamp e Unesp. /

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.