PUBLICIDADE

Gov.br: como criar conta e fazer primeiro acesso na plataforma de identificação digital do governo?

Mecanismo permite acesso virtual à serviços públicos e pode ser feita por aplicativo ou site

Por Rariane Costa

Ao ser atendido presencialmente em um serviço público para solicitar documentações e benefícios, fazer provas de vida e até iniciar um financiamento, é natural que o cidadão precise preencher formulários e assinar documentos que comprovem sua identidade. No ambiente digital isso não seria diferente. Mas como é possível comprovar junto ao governo federal que quem está acessando dados e fazendo solicitações é de fato a pessoa cadastrada?

PUBLICIDADE

Para casos de solicitações virtuais, o governo federal utiliza as contas gov.br como mecanismo de identificação dos cidadãos. O processo acontece com o Cadastro de Pessoa Física (CPF), que a partir deste ano se tornou o único número de documento válido para serviços públicos.

Qualquer cidadão brasileiro ou estrangeiro que tenha registro na base de dados do CPF pode criar uma conta que é gratuita e fica pronta em poucos minutos.

Para casos de solicitações virtuais, o governo federal utiliza as contas gov.br como mecanismo de identificação dos cidadãos Foto: Gov.BR/Reprodução

Como criar uma conta gov.br?

Para criar uma conta, o cidadão pode acessar o site ou aplicativo do governo federal e selecionar a opção “criar uma conta gov.br”. Depois disso, digitar o número do CPF e iniciar o processo para criação da conta.

Caso o usuário já tenha feito esse cadastro em algum momento, a página irá solicitar a senha cadastrada. É possível recuperar essa informação através da opção “esqueci minha senha”.

Seguindo o processo de criação da conta, a plataforma irá oferecer três possibilidades de reconhecimento.

  • Reconhecimento facial: feito através da câmera do dispositivo que está sendo utilizado;
  • Questionário de informações pessoais: o usuário responde uma lista de perguntas sobre informações como data e cidade de nascimento;
  • Dados bancários: com o login da instituição financeira que utiliza as informações são validadas.

Publicidade

Depois de realizado o reconhecimento, um número de celular deve ser informado para o envio de um código de autenticação. Passada essa etapa o usuário será direcionado à página para criação de uma senha.

As senhas da conta devem ter entre oito e 70 caracteres, podendo incluir: letras maiúsculas e minúsculas; números e símbolos. O governo sugere que senhas como datas, nomes e sequências numéricas sejam evitadas.

Após a conclusão do processo para criar a conta, o usuário já consegue acessar os serviços disponíveis pelo site ou aplicativo.

Níveis de segurança

Entre os serviços públicos que podem ser acessados a partir da conta gov.br, existem diferentes níveis de segurança exigidos. Para acessar alguns serviços serão necessários apenas dados básicos. Enquanto para acessar outros, é preciso ter uma conta com maior nível de segurança.

Esses níveis são divididos entre bronze, prata e ouro, sendo o nível ouro o mais seguro.

Usuários que tenham fotos registradas junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), assim como na nova Carteira de Identidade e que tenham feito o reconhecimento facial pelo dispositivo, já terão conta nível ouro.

Caso a foto esteja registrada apenas junto à nova Carteira de Identidade ou a identificação tenha sido feita via conta bancária, a conta será nível prata.

Publicidade

Contas bronze são aquelas verificadas por meio do questionário de informações pessoais disponibilizado pelo governo federal.

É possível aumentar o nível das contas acessando a opção “Selos de Confiabilidade” e seguindo os passos para uma atualização na identificação do cidadão e aumento de nível.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.