Governo federal avalia PEC para ampliar atuação na segurança pública, diz secretário

Mal avaliada na área, gestão do presidente Lula quer estabelecer diretrizes nacionais para o combate à criminalidade, segundo Mario Sarrubbo

Por Fabio Grellet

O secretário nacional de Segurança Pública, Mario Sarrubbo, disse nesta quarta-feira, 24, que o governo federal prepara uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que permita à União ampliar as incumbências da Polícia Federal no combate ao crime organizado e estabelecer diretrizes nacionais a serem seguidas por Estados e municípios nas atividades de segurança pública.

A intenção do ministro da Justiça e Segurança Pública, Ricardo Lewandowski, segundo Sarrubbo, seria aumentar as atribuições do governo federal nessa área; hoje, a responsabilidade pela segurança pública é quase que integralmente dos Estados, o que dificultaria, na visão da atual gestão, uma polícia nacional de combate ao crime.

'Isso está mais para o campo da integração do que de o governo (federal) querer meter o dedo na política dos Estados', disse Sarrubbo Foto: Ministério Público de SP

PUBLICIDADE

A informação foi dada por Sarrubo, em entrevista à Globonews na tarde desta quarta. “Que a União possa indicar diretrizes, ainda que genéricas, no campo da segurança pública”, afirmou. “Isso está mais para o campo da integração do que de o governo (federal) querer meter o dedo na política dos Estados . A gente precisa conversar mais, construir canais de diálogo e de integração que sejam fixos”, completou. “Talvez a União possa ser um ator importante nesse processo”.

Sarrubbo afirmou ainda que a ideia ainda precisa ser desenvolvida e discutida com governadores. “Isso será objeto de muito diálogo, para que possamos construir um modelo que atenda o País com tantas complexidades como o nosso”.

A segurança pública é uma das áreas em que a atuação do governo federal tem pior avaliação pelos eleitores. Segundo pesquisa Ipec divulgada nesta semana, 42% das pessoas consultadas consideram a conduta do governo federal ruim ou péssima nessa área.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.