PUBLICIDADE

Historiador diz que 200 mil alemães participaram de crimes nazistas

Número inclui cidadãos de todo o 'Reich' e funcionários de apoio ao Holocausto.

Por Marcelo Crescenti
Atualização:

Novas estatísticas indicam que 200 mil alemães participaram diretamente da preparação e execução de massacres durante a era nazista. Segundo o professor Dieter Pohl, do Instituto de História Contemporânea de Munique, o número inclui cidadãos de todo o "Reich" alemão da época, que também abrangia a Áustria e outras regiões anexadas. Para fazer sua estimativa, Pohl pesquisou minuciosamente o número de pessoas que trabalhavam na polícia nazista, nos campos de concentração e nas unidades do Exército envolvidas em massacres. A esse total, o historiador adicionou o número de empregados em órgãos do governo que estiveram envolvidos na preparação do Holocausto, que levou à morte de mais de 6 milhões de judeus. Isso inclui, por exemplo, funcionários públicos que cuidavam da deportação de judeus para os campos de concentração ou da apropriação de seus bens. Segundo Pohl, o total de 200 mil pessoas inclui todos aqueles que "prepararam, apoiaram ou executaram massacres" durante o regime nazista. Método Em entrevista à BBC Brasil, Pohl disse que o método usado até agora para determinar o número dos envolvidos em massacres não é totalmente confiável. Grande parte dos historiadores utiliza como base o número total de processos contra pessoas envolvidas em crimes durante a era nazista, que chega a 160 mil. Dieter Pohl afirma que esse total inclui, no entanto, assassinatos comuns, que podem até ter sido cometidos por pessoas de origem judaica. Somente cerca de 6,5 mil pessoas chegaram a ser condenadas na Alemanha por crimes cometidos durante a ditadura de Hitler. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.