PUBLICIDADE

Humor Tutty

Por Tutty Vasques
Atualização:

EUA: mais um timão a cairSeria até injusto com os atuais cartolas do futebol brasileiro dizer que Barack Obama parecia um deles ao reagir com a arrogância de antigos dirigentes de nossos clubes ao rebaixamento dos Estados Unidos na tabela de classificação da economia global. "Quem são esses manés pra nos dizer que não somos mais um país AAA?!", foi logo desqualificando os critérios de julgamento da Standard & Poor"s, cujo ranking é tão respeitado no mundo dos negócios quanto o da Fifa entre seleções de futebol. Não falou exatamente isso, mas deu a entender que, em último caso, pode apelar pro tapetão para garantir a permanência dos americanos no grupo de elite "triplo A".Nunca antes na história daquele país vitorioso se havia levantado a voz contra as regras de pontuação no jogo financeiro internacional. Na primeira vez em que se sentiram prejudicados pela arbitragem da agência classificatória que lhes caçou um "A", os Estados Unidos ameaçam virar a mesa, melar a brincadeira do mercado.Mal comparando, o presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, portou-se como um verdadeiro estadista naquele fatídico dezembro de 2007, quando o Timão passou por drama bem parecido com o que a América vive agora: "Ser rebaixado é doloroso. Chegamos ao fundo do poço, mas temos de trabalhar. Não me arrependo de ter assumido o cargo de presidente!" Obama teria se saído melhor do vexame das últimas semanas se tivesse seguido o discurso de Sanchez.Em comum diante da grande depressão de suas respectivas nações, os presidentes dos Estados Unidos e do Corinthians culparam administrações anteriores pelo desastre. Nada que, a seu tempo, Washington não possa reverter adotando já a humildade dos derrotados para um dia - quem sabe! - sonhar com seu próprio Itaquerão.Barraco forteCinquenta e dois anos mais nova que o ex-namorado George Soros, 80, a atriz brasileira Adriana Ferreyr está cobrando US$ 50 milhões do multibilionário na Justiça de Nova York. Alega que, além de uns catiripapos nela, ele deu a outra mulher a casa própria que havia lhe prometido em Manhattan. Merece, no mínimo, estar no elenco do próximo reality show A Fazenda.O resto é marAécio Neves não precisa mais ir ao Rio para se sentir em Copacabana. Já tem bueiro da Cemig explodindo no centro de Belo Horizonte.Ah, coitada!A opinião pública precisa dar um desconto à fama de pé-frio que associa a presidente Dilma aos resultados da seleção nos primeiros meses de seu governo. O time do Mano Menezes é parte disso que a oposição chama de "herança maldita do Lula".Ô, raça!Sumida há tempos do noticiário, a ministra da Cultura, Ana de Hollanda, tem evitado falar o que não deve - coisa que, convenhamos, é muito difícil quando se dialoga com artistas! Dia desses, comentava-se numa rodinha de atores que "a ministra erra até bom-dia". Como assim? "Ela dá bom-dia de noite, boa-tarde pela manhã..." Essa gente nunca está satisfeita, né? Nem aí!Nessas horas, a gente dá graças a Deus por não ter a grana do Eike Batista. Chega a ser comovente o esforço desse rapaz para passar a sensação de que perder bilhões de uma hora pra outra é a mesma coisa que ganhá-los nas mesmas circunstâncias. Sabe Deus o que o cara anda tomando para dormir!ShowmanTem bolão novo circulando nas bolsas de apostas mundo afora: em que cidade prevista em turnê João Gilberto vai enguiçar no palco? Salvador, São Paulo, Rio, Brasília ou Porto Alegre?Fim da picadaOs corruptos estão preocupados com os efeitos da crise global. Temem que os governos acabem cortando a comissão de 10% que lhes cabe.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.