PUBLICIDADE

Idoso que buscava ‘tesouro escondido’ morre após cavar e cair em buraco na cozinha de casa

Precisão na escavação do poço de quase 40 metros impressionou bombeiros; testemunha diz que ele escorregou de assento que era usado para entrar no local

Por Aline Reskalla
Atualização:

Um homem de 71 anos que, segundo vizinhos, acreditava haver ouro enterrado sob o chão de sua cozinha morreu ao cair no buraco que escavava no local. O acidente ocorreu na tarde de quinta-feira, 4, em Ipatinga, no Vale do Aço, Minas Gerais.

João Pimenta da Silva relatou a vizinhos, segundo o Corpo de Bombeiros de Minas, que havia sonhado com a existência do “tesouro” havia cerca de quatro meses. Foi quando ele teria iniciado as buscas, realizando uma obra que chamou a atenção dos agentes de resgate não só pela engenharia precisa, mas também pela falta de planejamento com a segurança.

Poço tinha quase 40 metros Foto: Corpo de Bombeiros de MG/Divulgação

PUBLICIDADE

“Após tal sonho, o idoso iniciou a escavação de um buraco com cerca de 90 centímetros de diâmetro e, pelo menos, 40 metros de profundidade. Não foi informado quanto tempo durou todo o processo, nem como articulou a complexa escavação de garimpo”, informa o Corpo de Bombeiros, em nota. “Foi relatado também à equipe que, no sonho, o morador teve a orientação sobre a intervenção ser naquele exato ponto da residência (no piso da cozinha).”

O comunicado afirma ainda que, ao tentar sair do buraco, por volta de 13h30, Silva teria escorregado do assento de acesso - tipo balanço de criança improvisado. Ele usava essa estrutura para entrar no túnel, e caiu de uma altura de 40 metros até o fundo do poço. Naquele momento, ele trabalhava retirando água e lama do local.

Bombeiros acreditam que idoso teve ajuda para cavar poço Foto: Corpo de Bombeiros de MG/Divulgação

A queda foi presenciada por Antonio Wilson Costa, que ajudava eventualmente nas escavações a pedido do morador do imóvel. À imprensa de Ipatinga, Costa disse que, no momento da queda, a cadeirinha se soltou.

Quando os bombeiros chegaram, constataram a morte do homem no local, com quadro de “politraumatismo, fraturas expostas nas duas pernas, fratura de quadril, laceração do abdômen e tronco, TCE grave e escoriações generalizadas”.

O 2º sargento do Batalhão de Bombeiros de Minas Gerais, Luís Filipe de Miranda, disse ao Estadão que provavelmente Silva tinha experiencia com escavações e teria tido ajuda profissional, pois. Embora os equipamentos utilizados fossem “arcaicos” e “caseiros”, o corte do túnel vertical era “perfeito”.

Publicidade

“Esse túnel parece algo alienígena, com a perfeição que ele cavou: diâmetro muito pequeno, cilindro muito perfeito, de 40 m de profundidade. Encontramos compressores, marteletes específicos”, afirmou Miranda.

O militar ressaltou ainda que o buraco encontrado estava totalmente escorado. “É uma ciência para conseguir descer. Muito complicado, mas ele tinha experiencia. Não sabemos qual a articulação dele nesse sentido”, disse.

Por outro lado, Miranda ressalta sérios problemas de segurança. “Nas imagens você pode ver que é tudo muito arcaico, caseiro, gambiarra. Não tem uma estrutura fixa de suporte. As escoras dele para subir não têm parafuso no chão. Ele estava descendo em um tipo de balancinho de criança, sem cinto, sem segurança”.

A Polícia Civil de Minas informou, após deslocar a perícia oficial ao local os trabalhos “de praxe”, o corpo do idoso foi encaminhado ao Posto Médico-Legal para o exame de necropsia. “A PCMG aguarda a conclusão dos laudos para constatar as circunstâncias e a causa da morte”, afirmou, em nota.

Tudo Sobre
Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.