PUBLICIDADE

Jovens presos abasteciam favelas com drogas sintéticas

Rapazes trocavam drogas sintéticas por maconha e haxixe; trocas eram feitas no Morro Santo Amaro

Por Clarissa Thomé
Atualização:

A Operação Octógono, que desbaratou uma quadrilha de traficantes de classe média que atuava na zona sul do Rio, revelou que os jovens do asfalto abasteciam os morros do Rio com drogas sintéticas. De acordo com o inspetor Ricardo Di Donato, isso ficou claro na atuação de pelo menos um dos acusados, Maycon Igor Soralick, de 20 anos, preso na quinta-feira, 8, com haxixe e maconha. "Ele fazia escambo, principalmente com os traficantes do Morro Santo Amaro, no Catete. Ele levava ácido e ecstasy e descia com maconha e haxixe", afirmou o inspetor. A polícia vem investigando o crescimento das vendas de drogas sintéticas no Rio, nos últimos anos. Nesta sexta, o secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, informou que o setor de inteligência da polícia está rastreando a rota dessas drogas. "Já sabemos por onde vem. Temos um bom rastro. É complicado porque a distribuição é muito capilarizada. Com um pequeno volume da substância se consegue grande quantidade de drogas. É muito fácil distribuir", afirmou. A quadrilha presa na quinta vendia ecstasy nacional e importado, a preços que variavam de R$ 25 a R$ 50. "As drogas era comercializadas em raves, PVTs (abreviação de Private, festas com pouca divulgação, fechadas para poucos) e day after. A day after é a festa em que eles gastam a onda das drogas sintéticas consumidas na festa anterior", explicou Di Donato.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.