Lewandowski autoriza uso da Força Nacional para buscas de fugitivos em Mossoró

Pasta enviará 100 agentes e 20 viaturas para o local, no interior do Rio Grande do Norte. Dois detentos escaparam da unidade federal na quarta-feira, 14

PUBLICIDADE

Foto do author Paula Ferreira
Por Paula Ferreira
Atualização:

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Ricardo Lewandowski, autorizou nesta segunda-feira, 19, o uso da Força Nacional em Mossoró, onde foi registrada a fuga de dois detentos da Penitenciária Federal. De acordo com a pasta, serão enviados 100 agentes e 20 viaturas para o local.

Na última quarta-feira, 14, Rogério Mendonça e Deibson Nascimento escaparam da penitenciária após passar por uma luminária da cela. Como o Estadão mostrou, os investigadores identificaram que os detentos utilizaram barras de ferro para alargar o buraco por onde passaram. Os criminosos utilizaram um pano na ponta do ferro, que foi obtido na própria cela, para abafar o barulho.

Lewandowski viajou a Mossoró neste domingo, 18, para acompanhar as buscas Foto: Jamile Ferraris/MJSP

PUBLICIDADE

A autorização para utilização da Força Nacional atendeu a um pedido feito pelo diretor-geral da Polícia Federal, Andrei Passos. Atualmente, cerca de 500 agentes da Polícia Federal, da Polícia Rodoviária Federal e das polícias locais realizam buscas para prender os foragidos. Essa é a primeira vez na História que detentos fogem do sistema prisional federal.

Fontes que acompanham as investigações têm comparado a busca pelos criminosos à operação de recaptura de Lázaro Barbosa, que ficou foragido por cerca de 20 dias após cometer assassinatos no Distrito Federal. Na ocasião, Lázaro acabou sendo morto durante confronto com a polícia.

Os agentes que participam das buscas utilizam drones, aeronaves e equipamentos que medem a temperatura corporal. Investigadores acreditam que os foragidos estejam na região. Nos últimos dias, eles invadiram uma casa, fizeram uma família de refém e roubaram aparelhos celulares dos moradores.

No fim de semana, o ministro Ricardo Lewandowski esteve na cidade de Mossoró para acompanhar os trabalhos de busca. Na ocasião, ele afirmou que nenhuma hipótese foi descartada, mas que apenas a conclusão da investigação poderá indicar se houve conivência de agentes penitenciários com a fuga.

“Enquanto estamos apurando, as correções estão sendo feitas. As possíveis falhas já estão corrigidas, de maneira que o presídio de Mossoró voltou a ser absolutamente seguro e apto a custodiar os detentos que lá se encontram”, disse.

Publicidade

No domingo, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva sugeriu que houve conivência de agentes do sistema prisional. Lula disse que os presos “só faltaram contratar uma escavadeira!” para concluir a fuga.

“Eu não quero acusar, mas, teoricamente, parece que teve conivência com alguém do sistema lá dentro”, afirmou durante coletiva de imprensa na Etiópia.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.